Os discursos de Ronaldo

Diante de tantas defesas na tribuna daquela Casa e declarações de amor pela Paraíba e por Campina, o poeta terá um lugar merecido na coleção do Senado

Mais política | Em 20/04/17 às 12h03, atualizado em 20/04/17 às 12h29 | Por Sony Lacerda

Todos conhecem o poder da oratória do ex-governador e senador Ronaldo Cunha Lima. Dois episódios me vieram à mente: uma aula que o poeta ‘ministrou’ em pleno pátio da ‘Chiquinha’, atual FIP, em Patos, e um comício que assisti na campanha eleitoral de 1990, pela disputa do Governo do Estado. Ainda não estava nem pensando em cursar jornalismo, mas lembro que o discurso de Ronaldo, que falava como o povo e tinha uma habilidade nata com os versos, me fez pensar em política. Me encantava. Ronaldo era um dos poucos políticos que conseguia prender a atenção durante os, muitas vezes, ‘chatos’ comícios. Não é a toa que o poeta, como era chamado carinhosamente, conquistou o respeito não só na Paraíba, mas em todo o País.

Autor de 32 publicações, o paraibano será homenageado pelo Senado. Os discursos realizados na Casa serão publicados em um dos volumes da coleção ‘Senadores da República - Discursos Memoráveis’, que será lançado na próxima terça-feira pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira. Em um dos seus discuros no Congresso, Ronaldo relatou um pouco da sua história de amor com Campina Grande. “Essa cidade que um amigo de saudosa memória dizia que conheço as casas, as almas e os caminhos. A Paraíba sabe e conhece a vinculação que temos, eu e Campina Grande. Um jornalista disse, certa vez, que ali não era uma cidade, era uma cumplicidade”.

Diante de tantas defesas na tribuna daquela Casa e declarações de amor pela Paraíba e por Campina, o poeta terá um lugar merecido na coleção do Senado.

Bate e volta 1

“Pra não perder a viagem, como diz o matuto, o senhor faz uma crítica ao governador [Ricardo Coutinho]”. A declaração foi dada pelo líder do Governo Hervázio Maia na tribuna e o destino, o deputado oposicionista Renato Gadelha. Motivo: Gadelha alfinetou o governador porque este estaria tentando tirar proveito da transposição.

Bate e volta 2

O certo é que a obra é do Governo Federal. Isso é inegável. É certo que o Estado tem sua cota nesse bolo, assim como os gestores municipais. Agora, todos estão tirando proveito eleitoral. Não vê quem não quer.

Bate e volta 3

“O governador piorou a situação”, disse Renato, acusando o governador de ter atrasado a chegada das águas do São Francisco para tirar proveito.

Paixão em Cuité

O deputado Pedro Cunha Lima comemorou o sucesso da Paixão de Cristo de Cuité. A encenação conta com 260 pessoas. O tucano conseguiu apoio junto a Ministério do Turismo para a realização do espetáculo.

Cadê a LDO?

A Lei de Diretrizes Orçamentárias 2018 teria chegado à ALPB desde a última segunda-feira. O problema é que ninguém dá conta.

Saúde 1

A vereadora Raíssa Lacerda usou as redes sociais para denunciar que “auditorias estão travando a liberação de exames para pacientes internos”. Ela anunciou uma audiência pública, em maio, com dirigentes das operadoras de planos de saúde que atuam na Capital para que expliquem o motivo desse travamento.

Saúde 2

“Saúde não pode esperar. Se pagamos um plano de saúde, é para sermos bem assistidos”, ressaltou Raíssa Lacerda. A audiência pública contará com a presença de representantes da OAB.

Voto de pesar

O TJPB aprovou Voto de Pesar pelo falecimento do professor Flávio Colaço, um dos fundadores do Unipê. A proposta foi desembargador Oswaldo Trigueiro Filho.

Bem direto

A rádio peão apurou que o governador Ricardo Coutinho estaria, diretamente, atuando para que a coordenação da bancada federal saia das mãos de Benjamin Maranhão.

De pai para filha

O suplente de deputado estadual Charles Camaraense já está preparando a filha Rafaela, que é vereadora em Cuité, para disputar uma vaga na ALPB.

Atenção

Fechar