Prefeito de Bayeux pede para ser investigado

Luiz Antônio (PSDB), que era o vice-prefeito de Bayeux, assumiu o comando da gestão na semana passada, após Berg Lima (Podemos) ser preso

Mais política | Em 13/07/17 às 00h10, atualizado em 13/07/17 às 17h14 | Por Redação, com André Gomes, do Jornal Correio da Paraíba
Alexandre Freire / Portal Correio
Prefeito de Bayeux, Luiz Antônio (PSDB)

O prefeito interino de Bayeux, Luiz Antônio (PSDB), se antecipou a supostas acusações de envolvimento com o escândalo que levou o prefeito afastado, Berg Lima (Podemos), para a cadeia, e decidiu ingressar, ainda esta semana, junto à Câmara Municipal, ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) com um pedido para ser investigado. Comente no fim da matéria.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

De acordo com o secretário de Comunicação de Bayeux, Paulo Neto, o prefeito não tem nada para esconder e, por isso, solicitará a investigação aos vereadores e aos órgãos de fiscalização. “O prefeito não possuía cargos em primeiro escalão, já não falava com o prefeito Berg Lima há tempo, principalmente sobre política”, afirmou.

A decisão de Luiz Antônio se deu logo após a revelação feita pelo procurador da Câmara Municipal, Aécio Farias, de que existem denúncias contra o gestor interino por suposto envolvimento em esquema de corrupção comandado por Berg Lima, e que a Câmara poderia abrir um processo de investigação.

Para o procurador, os benefícios de Luiz Antônio na administração podem esclarecer o suposto envolvimento dos dois. “Ele não tirou nenhum secretário do prefeito, ele tinha muitos empregos, muitos cargos que eram dele. O irmão dele era e é secretário ainda. Eles foram eleitos juntos, então não tem problema algum se investigar também, já que tem indícios disso que ele podia ser envolvido”, disse.

Luiz Antônio, que era o vice-prefeito de Bayeux, assumiu o comando da gestão na semana passada, após Berg Lima ser preso.



Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078. 

Atenção

Fechar