Prefeita do Conde revela desmandos cometidos por gestão anterior

106
0
COMPARTILHE

Salários atrasados de servidores públicos, lixo acumulado em todas as ruas, carros depredados sem motor e sem pneus, prédios públicos abandonados, sumiço de computadores e outros equipamentos, creches com colchões podres infestados de larvas, secretaria sem telhado, aluguéis sem pagamento, água e energia cortados em vários setores, prefeitura sem prédio para funcionar, serviço odontológico sem atender à população por falta de equipamentos, postos do PSF fechados e recolhimento irregular de impostos foram algumas irregularidades administrativas identificadas pela prefeita Márcia Lucena, do Conde, ao assumir na segunda-feira (2).

Leia também: Prefeita do Conde
decreta estado de emergência e suspende gastos; veja setores afetados

Nessa terça (3), ela conseguiu desbloquear as contas da Prefeitura que foram interditadas pelo Tribunal de Contas do Estado. As múltiplas irregularidades motivaram a decisão do TCE, que recebeu, inclusive, solicitação da própria prefeita antes da posse para que o bloqueio acontecesse.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

A professora Márcia temia que danos ainda maiores fossem causados pela gestão anterior ao patrimônio municipal. Recursos transferidos ao município estavam sob ameaça de desvios, não havia qualquer indicativo de que seriam aplicados, por exemplo, no pagamento de salários atrasados, o que seria correto. A primeira parcela da verba resultante da Lei de Repatriação não foi destinada a esse pagamento e não se sabe em que foi gasta. “A situação é indescritível”, disse a prefeita durante entrevista na manhã de ontem.

Márcia Lucena afirmou que “é difícil imaginar que uma Prefeitura tenha rejeitado cumprir integralmente o programa Mais Médicos, mas foi isso o que a gestão anterior fez, simplesmente recusou a contratação pelo Ministério da Saúde dos seis médicos aos quais o Conde tem direito, optando apenas por três, o que significou um corte da metade dos atendimentos que deveriam acontecer em benefício da população”.

“Imaginávamos que a situação fosse dramática, mas não nessa proporção absurda, em que a população enfrentou dias e dias sem médico por falta absoluta de compromisso com a saúde da população”, disse.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas