Presidente e diretora jurídica do Grupo Boticário são processados no Cade

9
0
COMPARTILHE

O proprietário de uma franquia de O Boticário em João Pessoa, Douglas Nunes, denunciou o presidente do Grupo, Artur Grynbaum e a diretora jurídica, Fabiana Caldi ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) por práticas abusivas contra os franqueados. A denuncia foi protocolada na última semana, em Brasília.

Leia também:

Cade poderá ser acionado para apurar ‘briga’ entre Boticário e franqueados

Problemas com lojas ‘O Boticário’ se espalham pelo país e JP tem novos protestos

Segundo Douglas Nunes, “os representantes do grupo O Boticário vêm sendo vítimas de abusos de poder econômico e concorrencial por parte das empresas representadas que, objetivando a dominação do mercado, a eliminação da concorrência e o aumento arbitrário dos lucros, estrangularam e asfixiaram as operações das franquias”, afirmou o franqueado. A mesma denúncia já foi feita pelo deputado federal André Amaral (PMDB).

Douglas Nunes pediu ainda que os casos de concentração referentes aos estados de Pernambuco e Bahia sejam analisados com cautela pelo Cade. Ele também solicitou que o órgão requeira todas as ações de rescisão e aquisição de franquias realizada pelo Grupo nos últimos cinco anos.

O Grupo Boticário divulgou uma nota na qual diz que mantém uma relação muito próxima e transparente com a rede de franqueados. “A empresa busca constantemente as melhores práticas de mercado, suportadas na legalidade, por claras regras contratuais e reconhecida excelência em modelo de franquias que soma mais de três décadas”, disse.

A empresa afirmou ainda que faz anualmente pesquisas que mostram que os índices de satisfação dos franqueados com a marca são bastante elevados. “[Isso reflete] o nível de engajamento dos parceiros da rede franqueada e a solidez do negócio, que apresenta crescimento bastante superior à média do mercado”, afirmou.

O Boticário disse que não recebeu denúncia e nem teve acesso ao teor de qualquer comunicação feita ao Cade. “A possível existência da denúncia não significa que haja prática anticoncorrencial. Seria um ato unilateral passível de análise prévia do Cade, que poderá ou não ter prosseguimento”, disse em nota enviada ao Portal Correio.

“O Grupo Boticário prestará todos os esclarecimentos ao Cade para correta apreciação do caso”, completou.

Sobre as lojas de João Pessoa, o Grupo Boticário finalizou dizendo que não comenta casos que estão sob análise do Poder Judiciário.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas