Professor e ativista cultural ? morto em ponto de ?nibus da Grande JP; PT emite nota

31
0
COMPARTILHE

O professor e ativista cultural, Carlos Henrique da Silva, 55 anos, foi assassinado a tiros quando saia de uma escola pública no bairro de Camalaú, na cidade de Cabedelo, na Grande João Pessoa, na noite dessa terça-feira (10). A Polícia Militar registrou mais mortes na Capital e no Sertão. A Polícia Civil trabalha que o crime foi uma execução. O Partido dos Trabalhadores da Paraíba (PT-PB), o qual o professor era filiado, divulgo nota cobrando elucidação do caso e lamentar a morte do militante.

Leia mais Notícias do Portal Correio

De acordo com a tenente Suellen, da 6ª CIPM de Cabedelo, a vítima tinha deixado a escola quando foi abordada por dois homens que efetuaram cerca de cinco tiros contra o professor, que estava na parada de ônibus em frente da unidade de ensino.

Os peritos constataram que Carlos Henriques também sofreu uma perfuração provocada por arma branca. A Polícia Civil encontrou o celular em uma das mãos da vítima. Os suspeitos do crime fugiram e até as 09h40 não tinham sido localizados.

Um irmão da vítima disse em entrevista à TV Correio que Carlos Henrique era ativista cultural e fundador da Ong Malungos, que trabalha a cultura negra e preservação da cultura afrodescendente. Carlos Henriques prestava serviços comunitários em vários bairros e cidades da Grande João Pessoa, além de lecionar artes em escolas municipais da Capital paraibana.

O corpo do professor foi levado para a Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal (Gemol), no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa, para ser periciado e liberado para velório e sepultamento.

Nota divulgada pelo PT:

O Partido dos Trabalhadores da Paraíba, através desta Nota de Pesar, lamenta e presta solidariedade à família do companheiro Carlos Henrique da Silva, assassinado na madrugada desta terça-feira, 10, no bairro de Camalaú (Cabedelo).

Militante histórico do PT, Carlos Henrique filiou-se ainda na década de 80, integrando o Coletivo Negro do partido e a Secretaria Estadual de Combate ao Racismo. Era ativista do Movimento Negro, contribuindo com o governo do presidente Lula na criação, e consolidação, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir).

Respeitado no Movimento Negro, foi fundador da Ong Malungos, e atualmente, entre as suas atividades, atuava como professor voluntário da Escola Estadual Imaculada Conceição, localizado na cidade de Cabedelo

A direção do PT estadual e a sua militância solicitam da Polícia Civil rapidez na investigação do assassinato do companheiro Carlos Henrique. Que os culpados sejam punidos pelo crime que cometeram.

Assista à matéria exibida na TV Correio HD.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas