Programa beneficia jovens com S?ndrome de Down e em situa??o de vulnerabilidade

4
0
COMPARTILHE

O governo do Rio de Janeiro assinou nesta sexta-feira (28) um termo de cooperação durante a formatura de 91 alunos do Programa Jovens Aprendizes da Nova Cedae. Os jovens vão atuar nas funções de auxiliar administrativo nas áreas de administração, contabilidade, financeira, informática, comercial e jurídica da companhia. O documento foi assinado com a obra social Rio Solidário, que funcionará como agente de seleção de jovens em situação de vulnerabilidade social.

Leia mais Notícias no Portal Corrreio

O Centro de Integrado Empresa Escola do Rio de Janeiro (CIEE-RJ) encaminha os jovens aprendizes para o trabalho na Cedae (Companhia de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro). A partir da assinatura do acordo, o programa passará também a incluir pessoas com deficiência intelectual e Síndrome de Down.

A presidenta do RioSolidário, Maria Lúcia Horta Jardim, destacou a parceria e a confiança no trabalho com os jovens. “Temos parceria com a Fundação Roberto Marinho, com o CIEE e com a Cedae, o que é importantíssimo. Deposito muita confiança nessas parcerias e nos jovens, já que eles terão muitas oportunidades pela frente. Claro que ainda terão muito o que avançar, mas o primeiro passo já foi dado”, disse.

Maria Lúcia classificou a cooperação como importante para inserir os jovens em situação de vulnerabilidade social no mercado de trabalho. “A gente vê pela fala deles que tudo é oportunidade na vida, e é isso que transforma as pessoas. Eu acho que cabe também ao poder público e à iniciativa privada, estender a mão aos jovens e, principalmente, àqueles que estão em maior risco de vulnerabilidade social”.

O programa tem como objetivo a preparação e inserção de jovens no mercado de trabalho, após sua capacitação pelo CIEE. O programa foi instituído na Cedae em 2009 e, desde então, já passaram pela companhia 728 jovens, sendo que 168 ainda estão em atividade na empresa.

O presidente da Cedae, Jorge Briad, falou sobre sua experiência na empresa, onde ele próprio iniciou como servente. Eu comecei na Cedae como servente e hoje estou no cargo de presidente, portanto, sou a prova viva de que o estudo e a determinação pode nos levar bem longe”, disse.

O formando Vinnie Teixeira, 21 anos, elogiou o programa. “O Jovem Aprendiz faz com que você seja inserido no mercado e sem essa obrigatoriedade de ter experiência anterior. Aí você acaba adquirindo essa experiência no dia a dia do trabalho”.

Alexander Ribeiro, 18 anos, também formando, aproveitou para fazer um convite “venham, porque é uma porta aberta para o mercado de trabalho. Ajuda no enriquecimento profissional e pessoal”, afirmou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas