Projeto usa gotejamento e fortalece cultura da melancia, mesmo com seca na PB

4
0
COMPARTILHE

Um projeto desenvolvido por alunos do curso de Licenciatura em Ciências Agrárias do Campus 4 da Universidade Estadual da Paraíba, em Catolé do Rocha, no Sertão, a 411 km de João Pessoa, e por discentes do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da Universidade Federal da Paraíba, em Areia, no Brejo, a 130 km da Capital, está transformando o potencial da agricultura familiar no semiárido paraibano com o cultivo da melancia. A iniciativa parte da otimização de recursos hídricos e utiliza a técnica da irrigação através do método localizado com sistema de gotejamento, com vazão de 1,7 litros por hora.

Leia mais Notícias no Portal Correio

O experimento está contribuindo no desenvolvimento da cultura da melancia, mesmo em período de seca, possibilitando o convívio com o clima semiárido ao se adotarem técnicas agronômicas que economizam água sem causar déficit hídrico às plantas. Ao mesmo tempo, a técnica oferece novas alternativas para o desenvolvimento da agricultura familiar.

Conforme explicou o professor Evandro Franklin de Mesquita, coordenador da iniciativa na UEPB, este é o segundo ciclo de melancia que está sendo cultivado com este experimento. São quinhentas plantas cultivadas na área do Campus 4 e, até agora, os resultados obtidos têm sido bastante positivos, uma vez que as frutas resultantes deste cultivo apresentam a mesma qualidade comercial das que são cultivadas com sistemas de irrigação convencional que consomem mais água.

“A grande vantagem deste sistema é que o cultivo se adequa à realidade local, que requer o máximo aproveitamento da água, sem desperdício. Com o método localizado adotando o sistema por gotejamento, a água é aplicada diretamente no colo da planta, sem haver perda de água como ocorre com outros sistemas de irrigação. A melancia tem a mesma qualidade, mas é cultivada com um menor volume de água, essencial para a sustentabilidade do semiárido”, frisa o professor.

O projeto de pesquisa conta com a participação de dois alunos de iniciação científica sob a orientação dos professores Evandro Franklin e Irinaldo Pereira e integra uma tese de doutorado orientada pela professora Rejane Maria Nunes Mendonça, da Universidade Federal da Paraíba, Campus II, em Areia, com co-orientação do professor Evandro. Quinze alunos do Grupo de Pesquisa SOLAPLANT também participam da iniciativa, juntamente com os pesquisadores Anailson de Sousa Alves, Lucimara Ferreira, Rosinaldo de Sousa, Irinaldo Pereira da Silva Filho e Francisco Pinheiro, que também estão envolvidos.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas
páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no
Youtube. Você também
pode enviar informações à Redação
do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.
 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas