Prova do Conde pode ter sido plagiada e parte dos candidatos formaliza denúncia

0
COMPARTILHE

Mais uma polêmica envolvendo o processo seletivo da Prefeitura Municipal de Conde, no Litoral Sul do estado, para o preenchimento de 87 vagas para todos os níveis. Alguns candidatos do certame levantam a suspeita de que dez questões para o cargo de professor tenham sido plagiadas de outro concurso. Parte dos candidatos já formalizou uma ação judicial contra o certame.

Leia também: Candidatos vão ao MPPB contra concurso do Conde e querem cancelamento 

Conforme documentos enviados ao Portal Correio, o concurso do Conde teria, pelo menos, dez questões idênticas às que foram aplicadas na prova do concurso da Prefeitura de Logradouro, município do Agreste paraibano, para o cargo de professor, na 1ª fase.

Leia mais Notícias no Portal Correio

A prova em Logradouro foi aplicada em maio deste ano, menos de um mês antes do concurso do Conde. Os candidatos dizem que, ainda assim, nem mesmo as alternativas sofreram alterações antes de serem aplicadas no certame do Conde.

“A prova de conhecimentos específicos da Prefeitura de Logradouro para professor (1ª fase) é igual ao do Conde para professor (Creche), até a numeração e posição das questões. São muitas irregularidades nesse processo seletivo do Conde”, disse um candidato que preferiu não se identificar.

A suspeita de plágio nas questões é mais um argumento que embasa o pedido de suspensão do concurso, feito pelo advogado Dinarte Paulino, que representa parte dos candidatos prejudicados. Nessa terça-feira (14), o advogado protocolou na Vara da Fazendo Pública de Alhandra uma ação pedindo o cancelamento do certame.

“Foram muitas irregularidades, entre elas, falta de fiscalização, exclusão de candidatos da lista mesmo com a inscrição deferida, pessoas que pagaram a taxa e o nome não constava na lista, no local de RG tinha o nome de outra pessoa, uso indiscriminado de celulares, além da repetição das provas dos concursos”, falou Dinarte ao Portal Correio.

Na Delegacia da cidade de Alhandra, cerca de 20 boletins de ocorrência foram registrados por candidatos que foram prejudicados, alegando desorganização e fraude da empresa contratada pela Prefeitura do Conde para realizar o certame. Ouvido pelo Portal Correio, o delegado do Conde, Luiz Eduardo, disse que o caso vai ser investigado e se ficar comprovada alguma conduta criminosa, os responsáveis serão punidos judicialmente.

“Vamos oficiar a Prefeitura do Conde e a empresa responsável pelo concurso para explicar e justificar o motivo dessas supostas irregularidades. Se essas falhas tiveram sido dolosas e criminosas, os responsáveis serão punidos e o caso remetido à Justiça”, revelou o delegado

Ao Portal Correio, o promotor de Alhandra, Antônio Barroso, informou que, até essa quarta-feira (15), ainda não havia recebido a ação que pede o cancelamento do concurso, mas que vai analisar o caso e pedir provas.

“Ainda não recebi a documentação, mas quando chegar em minhas mãos irei analisar e pedido e as provas apresentadas pelos candidatos que alegam prejuízo. Eu já soube que uma das alegações é de que algumas pessoas que pagaram o concurso e tinham a inscrição garantida não constavam na lista de prova no dia do concurso”, afirmou o promotor.

O Portal Correio tentou contato com a Advise, empresa que realizou o concurso do Conde, para saber um posicionamento sobre as denúncias, mas o telefone disponível no site continua sem atender, mesmo depois de várias tentativas.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas