Quando outubro chegar…

5
0
COMPARTILHE

Guardem bem esta data: 20 de março de 2014. Foi o dia em que o prefeito eleito de Santa Rita, Reginaldo Pereira, foi afastado do mandato, e cuja cassação foi confirmada pela Câmara Municipal um mês depois.

Depois disso, o que se viu foi uma disputa judicial e política entre o prefeito cassado e o vice-prefeito Severino Alves Barbosa Filho, o Netinho, a essa altura rompidos, e uma cidade afundada no descaso. Lixo, salários atrasados, saúde em colapso. A briga jurídica ainda se arrasta. Eu não saberia sequer fazer as contas do ‘entra-e-sai’ de um ou do outro na Prefeitura. Eu só sei que com fogos se gastou muito…

À população, resta… esperar outubro chegar, enquanto assiste ao descaso, mas sem muita esperança. Levantamento feito pelo subeditor de Política, Adelson Barbosa, mostra que o município já tem pelo menos 13 pré-candidatos para 88 mil eleitores (terceiro maior colégio eleitoral do Estado). A música de Geraldo Vandré ‘Quando fevereiro chegar’ bem que podia servir de inspiração não só para os eleitores, mas a população em geral.

Basta só substituir fevereiro por outubro, dá certinho: “Quando fevereiro chegar/ Saudade já não mata a gente/ A chama continua no ar/ O fogo vai deixar semente/ A gente ri, a gente chora/ Ai ai ai ai/ A gente chora/ Fazendo a noite parecer um dia/ Faz mais/ Depois faz acordar cantando/ Pra fazer e acontecer/ Verdades e mentiras/ Faz crer, faz desacreditar de tudo/ E depois depois amor ô ô ô ô…”.

Sem dono

A Estação Cabo Branco – Cultura, Ciência & Artes, pivô da ‘disputa política’ entre Ricardo Coutinho e Luciano Cartaxo, foi inaugurada, está funcionando, já teve anexo construído mas, segundo informou ontem o prefeito da Capital, ainda não foi entregue oficialmente pela construtora. Isso pode, produção?

Sobre Machado…

O ex-presidente do STJ, Cesar Asfor Rocha, falou ontem, por nota, sobre a transcrição de gravações que teriam sido feitas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, com alguns políticos.

…e as declarações

“Contesto terminante-mente ter sido procurado, em qualquer tempo e por qualquer pessoa, para tratar desse assuntos”, disse o ex-ministro.

…“Nego”

E mais: “Nego, por decorrência, e com igual veemência, ter conversado sobre o tema com qualquer ministro do STFl ou com qualquer outro magistrado”. As gravações de Machado têm movimentado Brasília

…“Repudio”

Para encerrar, Asfor Rocha diz que repudia, por fim, “as injuriosas ilações extraídas da simples menção ao meu nome em conversas de terceiros”.

Isenção

Responsável pela denúncia das pedaladas fiscais que pesa contra a presidente afastada Dilma Rousseff, o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, Júlio Marcelo de Oliveira, negou ter participado de atos pró-impeachment e que seu parecer é “isento e decorrente da minha convicção profissional”.

Peça de ficção

Sobre uma foto que circulou em redes sociais, o procurador disse: “Se você olhar a foto, que é uma só e que é peça de ficção, vai ver que não sou eu. É uma foto de uma outra pessoa. Basta olhar e saber que não sou eu”.

Na web

A íntegra da entrevista do procurador a repórter Mislene Santos, os leitores podem acessar no site do jornal Correio (correiodaparaiba.com.br).

Conselho…

Pré-candidato a prefeito de Campina pelo PEN, o ex-deputado Walter Brito Neto vez ou outra cutuca a gestão do PSDB: A guarda municipal pode ter o porte legal de arma mediante convênio com o Ministério da Justiça!”

…de segurança

“Infelizmente, o Conselho municipal de segurança de Campina não teve agilidade para realizar o convênio com o Ministério da Justiça”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas