‘Rabissaca’ pra oposição

8
0
COMPARTILHE

“Dizem que há impopularidade. Isso me incomoda? Digamos assim, que é desagradável. Mas não me incomoda para governar. Alguém até disse, há poucos dias, que a popularidade é uma jaula. Aproveito a impopularidade para fazer aquilo que o Brasil precisa. E é o que estou fazendo. Lá na frente haverá reconhecimento”. A declaração é do presidente da República, Michel Temer, dando aquela ‘rabissaca’ com careca e tudo, aos opositores, durante anúncio da minirreforma trabalhista ontem pela manhã.

A maioria das medidas, especificamente falando das reformas da Previdência e Trabalhista, sou parcialmente contra, mas é preciso reconhecer que existe a necessidade, e que alguém terá que fazê-lo. Se sobraram, caíram no colo ou foram mesmo pensadas pelo peemedebista, do ponto de vista político,

Temer não está muito preocupado. Tem repetido que não irá mais disputar cargos públicos – e mesmo que fosse, acredito que não obteria sucesso devido a essa dita impopularidade. Então, para que se preocupar. “Ah, uma jaula”, como eu costumo dizer em conversas entre amigos.

Vocês realmente acham que os aliados – de olho no poder em 2018 – consideram essas medidas impopulares? Porque então não se manifestam? Não irão. Quem é doido de se queimar. Preparar o peru, colocar a mão na massa, você não acha um na porta da cozinha. Agora, quando o peru estiver assado, garanto que todos comerão e se fartarão com essas medidas.

Na porta do STF

Certamente essa ‘novela’ da eleição da nova Mesa Diretora do Tribunal de Justiça da Paraíba irá continuar no Supremo Tribunal Federal, aliás já está lá. O que ficou claro na sessão extraordinária de ontem é a divisão do Pleno, o que não é bom, afinal estamos falando da mais alta Corte da Justiça do Estado.

Eleição 1

Do presidente do TJPB, desembargador Marcos Cavalcanti, durante sessão extraordinária, bastante calorosa, diga-se de passagem: “Não vou deixar me intimidar. Medo não faz parte do meu dicionário”.

Eleição 2

E mais: “Eu tenho condições de conduzir esse Tribunal. Eu não sou mentiroso. Eu digo e provo!”. Que foi uma indireta, está claro. Para quem? Me abstenho.

Eleição 3

Ainda durante a sessão, o procurador Valberto Lira pediu a palavra e saiu-se com essa: “Presidente, que o Tribunal de Justiça da Paraíba não seja um Renan Calheiros”. Cavalcanti mandou constar em ata.

Eleição 4

Lira se referia ao fato de que o presidente do Senado descumpriu liminar do STF, que o afastamento do cargo. Peitou e não ficou bem perante a opinião pública.

Presentes

Dos 19 desembargadores que compõem o Pleno, 11 estiveram presentes: Marcos Cavalcanti (atual presidente), Romero Marcelo (que se absteve de votar), Joás de Brito, Carlos Beltrão, Abraham Lincoln, Márcio Murilo, Maria das Neves do Egito, João Benedito, José Aurélio da Cruz, Arnóbio Teodósio e Luís Sílvio Ramalho.

Crescimento

Empresário, o senador Deca (PSDB) acredita na retomada do crescimento econômico em 2017, a partir da perspectiva do Banco Central de reduzir as elevadas taxas de juros e trazer a inflação para o centro da meta de 6,5%.

Até janeiro

Deca fica no mandato até janeiro, quando termina a licença de Cássio Cunha Lima. “Em quatro meses, eu não perei de trabalhar pela Paraíba”, disse Deca.

Maturidade

Para o vereador Luiz Flávio (PSDB), a unidade em torno do nome de Marcos Vinícius (PSDB)para presidente da Câmara da Capital é uma demonstração de maturidade dos atuais e futuros vereadores.

Teixeira

O prefeito reeleito e diplomado do município de Teixeira, Nego de Guri, deve trocar o PMDB pelo PSB do governador Ricardo Coutinho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas