Sal n?o pode ser usado para matar caracol africano; veja o que fazer para evitar doen?as

12
0
COMPARTILHE

Com a chegada do período chuvoso, aumenta o aparecimento dos caracóis africanos (Achatina fulica), que podem provocar doenças. A Prefeitura de João Pessoa informou nesta terça (14) que, em parceria com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), montou um plano de ação para combate ao caracol e com orientações para a população; veja abaixo.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Técnicos da Secretaria de Meio Ambiente (Semam) e Ibama vão ministrar oficinas educativas, com foco nas informações sobre o caracol africano, incidência, riscos à população, orientações sobre como deve ser feita a catação e o extermínio. Serão realizadas oficinas com diretores e professores das escolas da rede municipal de ensino de João Pessoa, dividida entre as 13 regiões adotadas pela PMJP para a realização do Orçamento Participativo (OP).

Controle e extermínio

As oficinas trarão informações sobre o que é o caracol africano, porque está presente no Brasil, como se prolifera e as medidas sustentáveis de combate. Os caracóis gostam de se alojar em locais úmidos e com sombra, de preferência em meio a entulhos, e são considerados hoje pragas urbanas, como ratos e baratas.

O biólogo da Semam, Cláudio Almeida, ressaltou o que vai ocorrer durante as oficinas.

“Vamos desmistificar algumas crenças, como por exemplo, sobre a queima dos caracóis. Essa não é a forma mais adequada de extermínio, pois provoca combustão e poluição atmosférica. As pessoas estão jogando sal sobre os caracóis e essa também não é a maneira adequada de exterminá-los. Para acabar com os caracóis é simples, basta mergulhar os bichos por trinta minutos numa mistura de sabão em pó com água, fazendo com que morram asfixiados. Depois de mortos os caracóis devem ser enterrados”, concluiu.

Cláudio Almeida ressaltou ainda que é preciso muito cuidado durante a catação, que deve ser feita de forma manual e com luvas. Todas as oficinas serão ministradas com uso de materiais de proteção e serão feitas por técnicos especializados.

Para a secretária de Meio Ambiente, Daniella Bandeira, “essa é uma oportunidade única, em que estamos unindo forças, atendendo a uma parceria coordenada pelo Ibama, com o objetivo de contribuirmos para a saúde da população”.

Calendário de oficinas

A primeira oficina será ministrada no dia 20 de julho, às 19h, no Teatro Ednaldo do Egypto, em Manaíra.

21/07/2015 – 19h – Escola Municipal Anita Trigueiro – Altiplano
22/07/2015 – 19h – Escola Municipal Davi Trindade – Mangabeira
23/07/2015 – 19h – Escola Municipal Noema Tinoco
24/07/2015 – 19h – Escola Municipal João Monteiro da Franca – Conjunto Vieira Diniz
27/07/2015 – 19h – Escola Municipal Dumerval Trigueiro Mendes – Rangel

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas