Conteúdo Patrocinado

Política

Saúde alerta para riscos ao comer em praias ou fora de casa durante o verão

0
COMPARTILHE

A Gerência de Vigilância Sanitária (GVS) de João Pessoa alerta para a importância de verificar a qualidade dos alimentos a serem consumidos, bem como as condições de higiene dos locais onde eles são comercializados. A atitude pode assegurar que a refeição não ofereça riscos à saúde, principalmente na época de férias, quando as pessoas costumam apostar mais em alimentos vendidos nas ruas e praias.

Leia mais Notícias no Portal Correio

“Sabemos que é uma prática comum das pessoas buscarem se alimentar em locais livres. E existe um comércio muito grande, além dos estabelecimentos regulares, que serão fiscalizados e deverão está dentro dos padrões de qualidade para oferecer um bom serviço para a população”, destacou Alberto José dos Santos, gerente de fiscalização da Vigilância Sanitária.

Um dos cuidados que se deve tomar diz respeito a Salmonelose, uma doença infecciosa causada pela bactéria do gênero Salmonella, muito comum em produtos de laticínio e de origem animal, em água contaminada ou alimentos com restos de fezes de animais. A médica Nadja Naira explica que além de alimentos contaminados, maus hábitos de higiene também estão associados à transmissão desta doença.

“Muitas vezes a bactéria não está no alimento, mas nas mãos da pessoa, por isso é extremamente importante que a pessoa tenha bons hábitos de higiene como lavar as mãos antes das refeições, após utilizar o banheiro, entre outras ocasiões, pois hábitos saudáveis de higiene previnem vários tipos de doenças”, destaca.

De acordo com a médica, são simples as medidas que podem ser tomadas com o intuito de prevenir casos de salmonelose. “Beba leite somente se estiver fervido ou se for do tipo pasteurizado; evite consumir alimentos crus, principalmente carnes, tanto de bois, de porcos ou aves; carnes mal passadas também devem ser evitadas; todos os alimentos à base de frango ou de galinha necessitam ser devidamente cozidos durante o preparo.”

A médica alerta principalmente para o cuidado com ovos e verduras.  “Os ovos são uma das principais formas de contágio, portanto, adquira o hábito de comê-los apenas cozidos ou fritos. Também é muito comum que as maioneses feitas em casa tenham ovos na receita, portanto fique atento a isto. Todas as verduras e legumes precisam ser muito bem lavados antes do consumo, deixá-los mergulhados em água com um pouco de hipoclorito de sódio pode ser uma boa medida preventiva, o mesmo deve ser feito com as frutas”, explica.

Comida fora de casa

A contaminação com a Salmonella também pode acontecer em refeições realizadas fora de casa, como em bares, restaurantes e lanchonetes. Para isso a Vigilância Sanitária orienta que proprietários de estabelecimentos com a comercialização de alimentos mantenham alguns cuidados com a conservação desses produtos a fim de evitar a proliferação da bactéria como o acondicionamento dos alimentos.

Segundo a coordenadora do setor de alimentos da Vigilância Sanitária, é extremamente importante estar atento às formas de acondicionamento dos alimentos, pois temperaturas elevadas favorecem a proliferação de bactérias.

“Outro cuidado a ser tomado é a forma de preparo dos alimentos, evitando sempre o contato entre alimentos crus e cozidos, principalmente alimentos de origem animal, como frangos e ovos. Cozinhar bem os alimentos, evitando carnes e frangos mal passados, dar preferência às maioneses industrializadas ao invés das caseiras que muitas vezes não há procedimentos corretos para evitar a contaminação pela Salmonella, disponibilizar maioneses e molhos em saches, além de orientar os funcionários sempre a manter uma boa higiene das mãos são alguns cuidados simples, mas que fazem toda a diferença”, orientou.

A população pode denunciar à Gerência de Vigilância Sanitária (GVS) estabelecimentos comerciais que não sigam as normas da GVS e/ou que apresentem risco à saúde da população, através do telefone 0800.281.4020. De acordo com a denúncia uma equipe da Vigilância Sanitária fará uma inspeção no local e tomará as medidas necessárias.

Tratamento

Todos estão expostos a adquirir a salmonelose, mas idosos, crianças mal nutridas, pacientes imunodeprimidos e portadores de anemia falciforme necessitam tomar maiores cuidados. Os sintomas podem se manifestar cerca de 6 horas a até 72 horas após a ingestão dos microrganismos e são semelhantes aos de outras complicações podendo causar náuseas, vômito, dor de cabeça, febre e diarreia, por isso é importante ficar atento às medidas preventivas, principalmente a higiene das mãos, para evitar futuras complicações.

Mesmo sendo geralmente uma doença autolimitada, o principal a se fazer quando há o diagnóstico de salmonelose é cuidar dos sintomas e manter o paciente hidratado, mas para um diagnóstico preciso é necessário procurar o médico.

Uma pessoa que estiver com sintomas da salmonelose ou qualquer outra infecção por ingestão de alimentos deve procurar atendimento médico nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Há unidades nos bairros de Manaíra, Valentina Figueiredo e Cruz das Armas. Se preferir o paciente também pode procurar as Unidades de Saúde da Família (USFs) e Unidades Básicas de Saúde (UBS). 

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas