Secretário e vice-prefeito de CG trocam acusações durante o ‘Correio Debate’

4
0
COMPARTILHE

O vice-prefeito de Campina Grande, Ronaldo Filho (PSDB), e o secretário executivo da Comunicação do governo do estado, Célio Alves, trocaram farpas durante participação no programa ‘Correio Debate’, da 98FM, nesta quinta-feira (28). Ronaldinho atacou o governador Ricardo Coutinho (PSB), que criticou a postura do seu irmão, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), ao articular um ‘chapão’ com a participação do PMDB e do PSD de João Pessoa, visando as disputa das eleições municipais deste ano. Célio cobrou respeito ao governador e sugeriu a Cássio que fizesse o debate sobre João Pessoa pessoalmente.

 Leia mais notícias de Política no Portal Correio

“Penso que esse debate público sobre a política de João Pessoa, o senador Cássio deveria botar a cabeça de fora e enfrentar a cidade de João Pessoa, no bom sentido”, comentou.  “Esse debate seria para  dizer de forma pública as articulações que anda  fazendo e que tem reunido setores mais reacionário da política e odientos com o objetivo de derrotar o governador Ricardo Coutinho”, arrematou.

Célio Alves considerou a fala de Ronaldo “destemperada”  e disse que a Paraíba já deu em 2014 o veredicto  sobre quem fala a verdade na política paraibana. “Convivemos por quatro anos com uma história de que Ricardo foi eleito pelo senador Cássio. Mas, quando o tucano resolveu trair o governador, a Paraíba fez o seu veredicto e disse que preferia Ricardo, que  preferia o trabalho ao atraso”, disparou.

Ronaldo Filho afirmou que sempre que for atacado responderá. Ele aproveitou para criticar a gestão do governador, num recado direto a Célio Alves. “Diga ao seu governador que ninguém está aqui para fazer picuinhas. Estamos para defender políticas. Aqui em Campina Grande estamos sem segurança e sem água. O governador faz ouvido de mercador e só pensa em eleição”, disparou.

Em dado momento das declarações, ele insinuou a citação do vice-prefeito de Campina em investigações policiais. Ronaldo Filho, ao participar do programa também por telefone, retrucou e desafiou o secretário a exibir provas do que estava dizendo. “Desafio a provar qualquer investigação sobre processo de empresas que exploram turmalinas. Sou apenas o advogado de duas dessas empresas. Houve um procedimento, que já foi arquivado.O secretário terá que provar, sob pena de responder na Justiça pelas insinuações”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas