Secret?rio nacional do Minist?rio da Sa?de debate desafios do SUS em JP

29
COMPARTILHE

O secretário nacional de atenção a saúde do Ministério da Saúde, Alberto Beltrame, ministrou palestra, na tarde desta sexta-feira (22), no auditório do Conselho Regional de Medicina, localizado na Avenida Dom Pedro II, no bairro da Torre, em João Pessoa, sobre regulação, desafios e regionalização do Sistema Único de Saúde (SUS).

Leia mais Notícias no Portal Correio

O evento fez parte das atividades do seminário “Pensando João Pessoa”, realizado pela Fundação Ulysses Guimarães e o PMDB Jovem com o objetivo de discutir temas referentes à gestão pública da Capital, a exemplo de Saúde, Educação, Segurança, Mobilidade Urbana, Cultura, Turismo.

A corrupção na área da saúde foi abordada, com a exemplificação de instrumentos para combatê-la nas cidades paraibanas. O secretário enfatizou que é preciso pensar em saúde de forma integral e holística e que não tem como desvincular a gestão do setor da realidade econômica e dos recursos financeiros. “Isso tem que estar na cabeça do governador, do prefeito, do ministro e dos secretários de saúde, para não fragmentar demais o sistema”, afirmou.

Além de Alberto Beltrame, também participaram do seminário o deputado federal, médico e pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PMDB); a presidente da Federação Nacional de Odontologia, Joana Batista; os médicos Geraldo Almeida, do CRM-PB, e Petrucio Sarmento, professor da Universidade Federal da Paraíba; secretários de Saúde de cidades da região metropolitana de João Pessoa; e pré-candidatos a vereador do PMDB na Capital.

Marcondes Gadelha, atual presidente do PSC na Paraíba, também prestigiou o evento, acompanhado de lideranças da legenda.

A presidente da Federação Nacional de Odontologia, Joana Batista, destacou que outra questão importante é cuidar também da saúde dos profissionais da área. “É preciso o SUS repensar a força do trabalho e criar um piso nacional de salários”, disse.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas