Setor de serviços gera R$ 7,8 bilhões e emprega 100 mil pessoas por ano na PB

5
0
COMPARTILHE

As 9.000 empresas de serviços em operação na Paraíba geraram R$ 7,8 bilhões em receitas no ano de 2014. Os dados são da Pesquisa Anual de Serviços (PAS), divulgada nesta quarta-feira (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As empresas também ocuparam naquele ano pouco mais de 100 mil pessoas e pagaram R$ 1,4 bilhão em remunerações.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Na comparação com o ano anterior, as receitas de empresas de serviços da Paraíba expandiram 20,18%, enquanto o número de pessoas ocupadas registrou alta de 17,83%. A Paraíba apresentou melhores taxas de crescimentos que a média do país nas categorias de pessoal ocupado (4,5%) sobre o ano anterior e também das receitas (6,5%) sobre 2013.

Já na comparação com o período mais longo (2007-2014), o número de empregos do setor dobrou na Paraíba, passando de 51,7 mil postos para 100,6 mil postos. Já a quantidade de empresas nos sete anos expandiu 83,17%, subindo de 4,9 mil para 9 mil estabelecimentos de serviço.

Destaques

A pesquisa anual mostra que três segmentos de serviços concentravam 64% do total de receitas em 2014 na Paraíba. O faturamento foi liderado pelos serviços de informação e comunicação com R$ 2,4 bilhões. Os outros dois segmentos que se destacaram no faturamento foram serviços de profissionais, administradores e complementares (R$ 1,7 bilhão) e de transportes, serviços auxiliares e correio (R$ 1,5 bilhão).

Os empregos ficaram também mais concentrados em três segmentos: serviços profissionais, administrativos e complementares (44.981); serviços prestados às famílias (25.435) e transportes, serviços auxiliares de transporte e correio (16.094), totalizando 83% dos postos daquele ano.

Nordeste liderou

Segundo o IBGE, as atividades culturais do setor de serviço da Região Nordeste influenciaram em crescimento a receita em relação às regiões do país. Sob o impacto da Copa do Mundo, realizada no Brasil em 2014, as atividades de entretenimento e desportivas do Nordeste influenciaram a receita bruta que mostrou a maior variação real em relação a 2013 na Região (37,8%). As regiões Sul (20,2%) e Norte (18,0%) vieram na sequência.

Contudo, os dados do IBGE mostram ainda a concentração das receitas de serviços no Sudeste do país. Em 2014, a região concentrava 64,9% da receita bruta dos serviços, 65,2% das remunerações e 58,4% do pessoal ocupado, além de pagar o maior salário médio (2,6 salários mínimos).

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas