Suspeitos de espancar jovem no Carnaval são ouvidos e liberados; vítima perdeu baço

0
COMPARTILHE

Foram ouvidos e liberados pela Polícia Civil, na manhã dessa terça-feira (14), dois irmãos suspeitos de agressão e tentativa de homicídio contra um adolescente de 17 anos durante o desfile de um bloco de Carnaval, no dia 27 de fevereiro, no município de Cabedelo, na Grande João Pessoa. Durante interrogatório, os irmãos alegaram que não lembravam do crime por estarem muito bêbados no momento das agressões.


Leia também: Adolescente agredido em bloco está em situação grave após perder baço, na Grande JP

Os suspeitos, um com 30 anos e outro com 18 anos, foram qualificados por agressão e tentativa de homicídio, mas liberados porque, segundo o delegado que investiga o caso, Bruno Germano, estão contribuindo com a investigação e dispostos a pagar pelo erro.


Leia mais Notícias no Portal Correio

“Os suspeitos foram identificados, reconhecidos por testemunhas e pela vítima e intimados a comparecerem para esclarecimentos. Eles alegaram que não lembram direito da situação porque estariam muito embriagados, o que notadamente é uma estratégia de defesa. Eles foram qualificados, mas como não estão foragidos, não atrapalham a investigação e estão dispostos a colaborar foram liberados já que, em tese, não cabem prisões preventiva ou temporária”, afirmou o delegado.

Ainda segundo o delegado, o inquérito sobre o caso deve ser concluído nesta semana e enviado para a Justiça, que irá decidir quais medidas serão tomadas para punir os suspeitos.


Situação da vítima

O delegado contou ao Portal Correio que o adolescente agredido passou cinco dias internado, sendo quatro deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), de um hospital particular da Grande João Pessoa, mas já está em casa se recuperando.

“O rapaz passou cinco dias internado, precisou ser operado duas vezes e perdeu o baço por conta das fortes agressões. Já o ouvimos e ele reconheceu os suspeitos. Pelo conjunto de provas que tínhamos, foram mais do que dois agressores que cometeram o crime, mas não conseguimos identificar as outras pessoas”, concluiu o delegado.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas