Conde

TV Portal Correio

Educação

TV Correio

ufpb-ufcg-e-hospitais-universitarios-devem-adotar-ponto-eletronico
Jovem está internado no Hospital Universitário Lauro Wanderley / Foto: Assuero Lima/Jornal Correio da Paraíba

UFPB, UFCG e hospitais universitários deverão adotar ponto eletrônico

Determinação foi feita ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e decorre de auditoria realizada pelo TCU

1176
COMPARTILHE

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão que adote as medidas necessárias para implementar o controle eletrônico de ponto nas universidades federais e nos seus respectivos hospitais universitários, em substituição à folha de ponto manual. Na Paraíba, a determinação atinge a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e o Hospital Lauro Wanderley, em João Pessoa, bem como a Universidade Federal de Campina Grande e os hospitais Alcides Carneiro e Júlio Bandeira, este último em Cajazeiras, no Sertão, a 468 km da Capital.

A decisão decorre de auditoria realizada pelo TCU na Fundação Universidade de Brasília (FUB), no Hospital Universitário de Brasília (HUB), na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), com o objetivo de avaliar o cumprimento da jornada de trabalho de professores e profissionais da saúde dessas instituições.

Em razão das deficiências encontradas, os ministros do Tribunal aprovaram uma série de determinações às instituições auditadas, entre elas, a UFRJ e a FUB devem divulgar, em seus sites, as atividades vigentes de ensino, pesquisa e extensão de professores. As duas instituições também terão de criar norma que estabeleça parâmetros a serem observados pelas unidades acadêmicas, por ocasião da definição das disciplinas que cada professor ministrará no período letivo.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas