Vereador é preso suspeito de mandar matar namorado da filha por ele ser negro, na PB

6
0
COMPARTILHE

Um vereador, o sobrinho dele e outro homem foram presos nessa sexta-feira (20), suspeitos de matar um rapaz de 16 anos em 2014, a mando desse político que não teria aceitado o relacionamento da filha com um negro e de família pobre. A informação é da Polícia Civil em Patos, a 310 km de João Pessoa, onde ocorreu a prisão.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Segundo a polícia, eles foram localizados após investigações que foram retomadas em abril deste ano. A Polícia Civil concluiu que ele morreu porque namorava a filha do vereador da cidade de Matureia (PB), preso nessa sexta, e que esse político não aceitava o relacionamento poque o rapaz seria negro e de família pobre. O autor do assassinato teria sido o sobrinho do parlamentar.

De acordo com a polícia, os presos estavam com um rifle calibre 44, além de diversas munições e um veículo clonado. O material apreendido e os três presos foram levados para a Delegacia da Polícia Civil em Patos.

O caso

O adolescente, que na época tinha 16 anos, foi morto na noite de 17 de setembro, na cidade de Matureia, a 312 km de João Pessoa, no Sertão do estado. Ele desceu para urinar próximo a um posto de combustíveis em construção, quando foi atingido por seis disparos.

Segundo informações do sargento Izidro, do Destacamento Policial da cidade de Teixeira, o adolescente voltava da escola por volta das 19h, acompanhado de um motorista em um veículo de passeio. O menino desceu do veículo para urinar próximo à construção de um posto de combustível, no Centro da cidade, quando foi surpreendido por um homem em uma moto, que efetuou vários disparos, sendo que seis deles atingiram a vítima. O rapaz morreu no local.

Na época, a polícia trabalhava com a hipótese de que o rapaz teria sido assassinado por engano porque ele não tinha passagem pela polícia e, segundo a família e amigos, não tinha envolvimento com o crime.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas