Vereadores de cidade da PB trocam insultos e agressões; veja o vídeo

271
COMPARTILHE

Dois vereadores da cidade de Borborema, cidade que fica a 133 km de João Pessoa, protagonizaram uma discussão na sessão da Câmara dessa quarta-feira (25). Os parlamentares Neto Galdino (PTB) e Massairo Costa (PSB) trocaram insultos e um copo de vidro chegou a ser arremessado durante o bate-boca. Veja no vídeo abaixo.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

A confusão teria começado após o vereador Neto ter se referido ao filho de Massairo, que exerceu o cargo de engenheiro na prefeitura na gestão anterior e que ele teria assinado uma autorização de construção de poços artesianos e que as obras nunca teriam começado.

Massairo não teria gostado do que ele chamou de insinuação e partiu para o bate-boca. Em entrevista à rádio Guarabira FM, o parlamentar deu sua versão do fato. Ele admitiu ter perdido o controle.

“O vereador Neto se dirigiu à tribuna e lá, indiretamente chamou meu filho de ladrão. Na gestão passada, o meu filho, que era engenheiro da prefeitura, estava à frente de alguns poços artesianos que estavam sendo perfurados na nossa cidade. O vereador Neto disse que meu filho assinou obra no valor de 200 e poucos mil reais e que eram obras inexistentes. Eu quero dizer a população de Borborema que nenhum pai aguenta o filho ser chamado de ladrão em uma tribuna onde existe várias pessoas que eu fiquei nervoso e sim parti para cima dele. Ele vai ter de provar na justiça que meu filho é ladrão, que assinou este documento e estes poços são inexistentes. Eu admito, fiquei nervoso, qualquer pai ficaria também e ninguém sabe na hora qual é a reação de um pai. Se ele chamou meu filho de ladrão, vai ter que provar na justiça”, afirmou.

Já o vereador Neto, voltou a reforçar o que havia dito na tribuna, mas negou que tenha chamado o filho do parlamentar Massario de ladrão.

“Não só o filho dele era engenheiro como a filha dele recebia da prefeitura sem trabalhar. Eu estive com representante da Sudema e constatei o que eu disse. Reafirmo tudo o que eu disse, só que em nenhum momento chamei o filho dele de ladrão, mas se a carapuça serviu para ele, para acontecer toda aquela revolta… Estou indo procurar a justiça, para ver as ações contra a pessoa dele. Se ele achou que eu estava mentindo ou chamando o filho dele de ladrão, pode acionar a justiça, porque eu estou ciente de tudo que disse”, finalizou.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas
páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no
Youtube. Você também
pode enviar informações à Redação
do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas