Vereadores pedem CPI para apurar supostos crimes na Câmara de Cabedelo

265
COMPARTILHE

Os vereadores da Câmara Municipal de Cabedelo aprovaram nesta quinta-feira (23) a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias de várias irregularidades supostamente praticadas na gestão passada, quando o presidente era o ex-vereador Lucas Santino e o vice era Eudes Souza. Segundo o Correio Online, baseado em documento protocolado pela Comissão, há indícios de prática de crime de apropriação indébita, sonegação fiscal, despesas realizadas sem o devido processo licitatório, falsificação ideológica, lavagem de dinheiro, dentre outros tipos penais.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

As denúncias também foram apontadas pelo Relatório de Análise de Denúncias de Indícios de Irregularidades do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba relativas à gestão anterior da Casa Legislativa.

O pedido de CPI foi aprovado quase que por unanimidade, apenas o vereador Reynaldo Lima (Rey) não votou, porque não estava na Casa porque estava doente e não pode comparecer, mas na ata consta que ele também é a favor e que nesta sexta-feira (24) estará assinando o pedido.

Como o julgamento das contas da Mesa Diretora não é apreciada pela Câmara Municipal, tendo sua jurisdição limitada ao Tribunal de Contas do Estados, os vereadores alegaram que através desta CPI estão assumindo a responsabilidade de também investigar e passar os fatos à limpo.

Ainda segundo o documento, os fatos listados acarretaram danos que juntos somam mais de R$ 1 milhão. A CPI deverá ser composta por três vereadores e, caso seja instaurada, terá o prazo de 90 dias para investigar e apurar as possíveis irregularidades.

A reportagem entrou em contato com os ex-presidente e vice-presidente da Casa, Lucas Santino e Eudes Souza, respectivamente, mas as ligações não foram completadas.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas