A obra e a política

32
COMPARTILHE

Os 30 anos na política, a maior parte na Câmara dos Deputados, que presidiu em duas oportunidades, prepararam Michel Temer para as situações delicadas. Talvez não esperasse que entregar a “obra do século” aos paraibanos fosse uma delas. E ainda mais quando incluiu no “pacote” investimentos da ordem de R$ 255 milhões na Grande João Pessoa, para a construção da terceira faixa da BR 230, entre a cidade de Cabedelo e o viaduto de Oitizeiro, na confluência com a BR 101, na Capital.

Enquanto o senador Cássio Cunha Lima citou o ex-presidente Lula e a ex-presidente Dilma, mas enalteceu a contribuição de Michel Temer para a conclusão do Eixo Leste, que impedirá colapso no abastecimento de água de quase um milhão de paraibanos, o governador Ricardo Coutinho destacou a ex-presidente Dilma, sendo aplaudido por um grupo de manifestantes que protestava contra o presidente.

Ricardo Coutinho citou até quanto da obra pagou – disse que foi 70% -, detalhe que pareceu um esforço para estabelecer quem deve ser reconhecido pelos nordestinos. E não foi por falta de gesto de Temer, em cujo helicóptero chegou ao evento, embora tendo que compartilhar o espaço com os adversários Cássio Cunha Lima e José Maranhão. O presidente foi vítima do duelo que travam?

A elegância de Michel Temer tem que ser destacada. “Sou como a cana. Quanto mais eu sou moído, só consigo dar doçura”, afirmou, citando D. Helder Câmara, ex-arcebispo de Olinda e Recife.

Disse mais: “Não quero a paternidade dessa obra, ninguém pode tê-la. A paternidade é do povo brasileiro e do povo nordestino”.

E para quem não entendeu: “Vocês é que pagaram impostos ao longo do tempo para que pudéssemos fazer grandes investimentos nessa obra que vai cada vez mais sendo festejada”.

Antes de Monteiro, Temer parou em Campina Grande para visitar o Complexo Aluizio Campos, com 4.100 casas, que está sendo construído pelo prefeito Romero Rodrigues em parceria com o governo federal. Lá, recebeu título de cidadania campinense, um reconhecimento da Câmara Municipal.

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, também ficou satisfeito. Temer assinou a ordem de serviço da 3ª via da BR-230 entre Cabedelo e Oitizeiro. Com o investimento de R$ 255 milhões serão construídos 13 viadutos, 14 passarelas, 38 km de vias marginais e 15 km de ciclovias, possibilitando criação de muitos empregos na Grande João Pessoa.

Temer se saiu bem, e com as obras, deixou seus aliados rindo à toa.

TORPEDO

É um prazer estar aqui em Monteiro presenciando a chegada das águas à Paraíba e a realização de um grande sonho do Nordeste. (…) Essa obra liberta a população da seca, sendo a redenção do povo nordestino.

Do governador Ricardo Coutinho (PSB), ontem, em Monteiro.

Bom humor

O grupo que protestava contra o presidente não teve acesso ao local, mas podiam ser vistos do palco. Como o calor era grande, Temer previu: “Seguramente no final do evento irão se banhar com as águas da transposição”.

Mimos

Temer espalhou gentilezas com os políticos. Elogiou Raimundo Lira, destacou os esforços de José Maranhão, a emoção de Cássio com a transposição e até lembrou de Vital do Rêgo Filho, atual ministro do TCU.

Debate

O deputado Benjamin Maranhão (SD) concorda com Temer: “Essa é uma obra do povo, não tem pai, nem mãe. Esse debate de criticar ou tentar tirar proveito da transposição é miúdo, diante de tantos benefícios que trará”.

Debate 2

Pedro Cunha Lima (PSDB) avaliza: “O povo é a principal personagem desse processo tão importante e que vai mudar completamente a realidade local. As águas chegam a Paraíba para garantir dias melhores a toda uma população”.

ZIGUE-ZAGUE

Campinense que enfrenta forte racionamento, o deputado Tovar Correia Lima comemorou chegada das águas: “Esse é a obra mais importante da história do Nordeste”.

A prefeita Ana Lorena (Monteiro) previu que a vida vai mudar no Cariri: “A esperança que todos nós tínhamos em nossos corações revive com essa realidade”.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas