Picuí

Instituto de Previdência

'Meu INSS'

TV Correio

acusados-de-matar-vivianny-dizem-que-sofreram-tortura-pela-policia
Julgamento acontece nesta quarta-feira (Foto: Halan Azevedo)

Acusados de matar Vivianny dizem que foram torturados pela polícia

Eles alegaram durante o julgamento que não conheciam Vivianny e que a conheceram naquele dia, no bar. Eles também negaram participação no crime.

1931
COMPARTILHE

Os acusados de matar Vivianny Crisley, Fagner das Chagas Silva e Jobson Barbosa da Silva Júnior, alegaram que foram torturados para confessar que teriam cometido o crime. Jobson disse que a tortura ocorreu na Central de Polícia do Geisel, em João Pessoa, e que o delegado o obrigou a ingerir bebida alcoólica e que teve um objeto penetrado no ânus. Porém, ele não disse quem era o delegado. Já Fagner também alegou ter sido torturado, mas não deu detalhes. Porém, a Promotoria do Ministério Público da Paraíba disse que laudos médicos comprovam que não houve tortura.

Leia também: Começa julgamento de acusados de matar Vivianny Crisley

“A gente saiu do Bebericos e fomos procurar um bar em Bayeux, mas não achamos nenhum aberto. Fomos para minha casa e Allex deixou a gente, eu e Fágner, em casa. Depois ele saiu com ela. Quando voltou, olhou para mim e disse que tinha matado ela”, relatou Jobson durante o depoimento.

Além de negar que houve tortura, a Promotoria alegou ainda que os três são “assassinos homicidas sem apego à vida humana e que mataram Viviane porque ela gritou”. Conforme o MPPB, as provas nos autos provam claramente a participação do Fagner e do Jobson em todo o crime.

Os dois alegaram durante o julgamento que não conheciam Vivianny e que a conheceram naquele dia, no bar. Eles também negaram participação no crime.

O julgamento ainda acontecia até o fechamento desta matéria, no fim da noite desta quarta-feira (16).

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas