Transparência

Operação Cartola

Diabetes

TV Correio

Amadeu Rodrigues (Foto: Reprodução)

Amadeu se diz inocente e alega que a 'Cartola' virou 'processo midiático'

Amadeu se limitou a falar sobre as conquistas da FPF e deixou que os advogados da Federação respondessem aos questionamentos sobre a operação

501
COMPARTILHE

O presidente suspenso da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues, afirmou que permanece no comando da FPF. A declaração foi dada nesta segunda-feira (14), em entrevista coletiva na sede da entidade. Amadeu é investigado na Operação Cartola, desenvolvida pela Polícia Civil, que apura manipulação de resultados no Campeonato Paraibano.

Leia também: Inquérito da ‘Cartola’ revela podridão no futebol paraibano

Durante a coletiva, Amadeu se limitou a falar sobre as conquistas da FPF sob o seu comando e deixou que os advogados da Federação respondessem aos questionamentos dos jornalistas com relação a Operação.

“Quem errou que pague. Não tomamos qualquer atitude com intuito de ludibriar instituições ou pessoas. Aos que pedem minha renúncia, digo que continuarei lutando pelo futebol e provarei a minha inocência”, disse Amadeu.

Sobre a operação, Amadeu contou que a Operação Cartola deixou de ser uma investigação judicial para se tornar “um processo midiático” por conta do vazamento de informações.

Na coletiva, os advogados afirmaram que Amadeu continua como presidente da FPF mesmo que exista uma intervenção da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Além disso, eles disseram que a FPF ainda não foi notificada sobre a intervenção.

Amadeu afastado

Em nota enviada à imprensa e divulgada nesse fim de semana, a Comissão de Ética do Futebol Brasileiro, órgão representativo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), confirmou o afastamento do presidente da Federação Paraibana de Futebol, Amadeu Rodrigues, por suposto envolvimento com esquemas de compras de árbitros e manipulação de resultados, divulgados neste domingo (13) em matéria exclusiva do Correio da Paraíba.

De acordo com a Comissão, a CBF deve indicar um interventor independente para assumir a Federação Paraibana e ainda nesta segunda-feira (14) No órgão deve confirmar o auditor do Supremo Tribunal de Justiça Desportiva, Flávio Boson Gambogi, para conduzir a Federação até o fim das investigações.

Durante esse período, Amadeu Rodrigues ficará licenciado de suas funções como gestor da FPF.

Vice confirma acusações

O vice-presidente da FPF, Nosman Barreiro, confirmou que tinha conhecimento dos esquemas realizados dentro da Federação e que ele mesmo protocolou o pedido de afastamento do presidente Amadeu Rodrigues. “Nós tínhamos conhecimento em partes. As investigações avançaram tanto, que chegaram a um ponto que nem imaginávamos. Tem ações tramitando tanto na Justiça Cível como na Justiça Criminal, todas protocoladas por mim. Tudo isso partiu de uma representação policial que nós protocolamos na Polícia”, revelou Nosman.

* Com informações de Raniery Soares, do Correio da Paraíba

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas