Moeda: Clima: Marés:

Árbitro relata invasão de dirigentes do Campinense em vestiário após jogo

Segundo a contestação do clube, o assistente José Carlos Oliveira (BA) prejudicou o time rubro-negro ao deixar de validar um gol
Foto: Divulgação

O árbitro baiano Ricarle Gustavo relatou ter ocorrido invasão de dirigentes do Campinense no vestiário da arbitragem, após jogo entre o clube rubro-negro e Aparecidense-GO. Com isso, o Campinense passou a correr o risco de ser punido pelo Superior Tribunal de Justiça.

A partida com validade pela Série C do Campeonato Brasileiro foi disputada sábado (30), no estádio Amigão, com o placar de 1 a 1. O time de Campina Grande ainda chegou a marcar um gol, nos minutos finais, mas a arbitragem anulou. Isso acabou provocando a ira dos dirigentes da Raposa.

“Após o término da partida uma pessoa não identificada veio até o portão da equipe de arbitragem e começou a desferir vários pontapé e xingar a equipe de arbitragem com palavras em tom grosseiros e abusivos…”, diz o relatório encaminhado à CBF pelo árbitro Ricarle Gustavo.

Segundo o relato da súmula, tudo foi gravado pelo celular do assistente Paulo de Tarso Bregalda. “Logo após este acontecido, cerca de 5 minutos seguintes, o roupeiro da equipe do Campinense veio até o portão do vestiário da arbitragem solicitando o recolhimento da bandeja de frutas…”.

O relato continua. “Assim que o árbitro abriu a porta do vestiário para dar a bandeja um dos membros que acompanhava o roupeiro empurrou a porta atingindo o pé do oficial de arbitragem. Invadiram o vestiário o presidente da equipe do Campinense Danylo Maia, acompanhado de um membro não identificado. Ambos estavam exaltados com um gol anulado contra sua equipe e começou a xingar a equipe de arbitragem em tom grosseiro e ostensivo”.

A diretoria do Campinense disse que só vai se pronunciar depois do possível julgamento no STJD da CBF. Mas antes do relatório do árbitro, o clube divulgou uma nota contestando o erro do assistente.

“Novamente um erro contra o Campinense que interferiu diretamente no resultado da partida”, disse o Campinense.

Segundo a contestação do clube, o assistente José Carlos Oliveira (BA) prejudicou o time rubro-negro ao deixar de validar o gol do meio-campista João Paulo, no qual foi marcando impedimento equivocadamente. “A diretoria do Campinense entende que todos são passíveis de erros”.

Porém, a nota cita que o Campinense “não pode concordar com um erro muito prejudicial ao clube numa competição tão importante como é o Campeonato Brasileiro”. O clube enviou um ofício à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) solicitando que providências”.

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.