Início Geral

Brejo tem chuva, mas não escapa do racionamento, nem de problemas com água

Mesmo sendo uma das regiões mais frias e com boa incidência de chuvas na Paraíba, o Brejo não tem muito o que festejar nesta terça (22), Dia Mundial da Água. Na região, cerca de 20 municípios enfrentam problemas com racionamento e com água de “qualidade duvidosa”, conforme considerado por moradores.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Os principais mananciais que abastecem o Brejo são Cacimba de Várzea e Araçagi. O primeiro está com 2,2 milhões de metros cúbicos (m³) de água, ou 24,2% da capacidade total, que é de 9,2 milhões de m³, segundo dados da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa). Já Araçagi registra melhores condições, com 62,5 milhões de m³, ou 98,9% da capacidade total, que é de 63,2 milhões de m³.

Mesmo com o volume em Araçagi, boa parte dos municípios enfrenta problemas, como em Guarabira, a 100 km de João Pessoa, onde bairros podem ficar até nove dias sem abastecimento, de acordo com relatos de moradores.

Damiana Pessoa, moradora do bairro Nordeste II, em Guarabira, informou ao Portal Correio que a falta de água é constante. Além disso, em algumas ocasiões, a água chega às torneiras com cor de ferrugem.

“Nossa região é reconhecida pelo frio, pela umidade, mas falta água constantemente e quando ela vem é barrenta. O problema eu percebo desde que a água começou a vir de Araçagi. Aqui mesmo já fiquei até nove dias sem ter água nas torneiras”, contou Damiana.

Ainda segundo a moradora, a água do abastecimento regular da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) é utilizada para lavar pratos, banheiro, roupas e, às vezes, para cozinhar. De acordo com Damiana, o consumo da água é evitado por conta da coloração.

“Por ela estar barrenta nós evitamos beber essa água. Minha irmã tem o costume de beber e vive doente. Aqui em casa temos que tomar água mineral para evitar adoecer. Só usamos a água da torneira para banho, lavar roupa, pratos, banheiro e algumas outras tarefas de casa”, contou a moradora.

Racionamento atinge 20 municípios

O racionamento atinge os municípios de Araruna, Cacimba de Dentro e Bananeiras, que são abastecidos nas terças, quartas e quintas. Na cidade de Solânea, o abastecimento ocorre de sexta-feira até a segunda.

Já em Pirpirituba, Sertãozinho, Duas Estradas, Serra da Raiz e Lagoa de Dentro, o abastecimento é de segunda a sexta-feira, com racionamento nos sábados e domingos.

Além desses municípios, também são atingidos pelo racionamento: Dona Inês, Tacima, Riachão e Damião, Belém, Caiçara, Logradouro e distritos Rua Nova, cachoeirinha e Braga, Serraria, Arara, Casserengue e Pilões.

Cagepa fala em obras

De acordo com a Cagepa, cinco obras, totalizando um investimento de R$ 144,8 milhões, são executadas para amenizar o problema da falta de água no Brejo paraibano.

As duas principais obras são a reconstrução da barragem e sistema adutor de Camará e a finalização da construção da barragem de Pitombeiras, que já deve ser inaugurada nos próximos dias.

Previsão é de chuvas em abril

Assim como no Litoral, as chuvas da região do Brejo sofrem influência dos oceanos. Com início previsto para abril, as chuvas devem acontecer até o mês de agosto.

“Da mesma maneira que o Litoral, o Brejo tem o período de chuvas entre abril e agosto. A diferença é que é uma região mais fria. As chuvas do início deste ano foram consideradas normais para o período e devem se intensificar a partir de abril”, afirmou Marle Bandeira, meteorologista da Aesa.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.