Moeda: Clima: Marés:

Campanha ‘Diga Não à Violência Doméstica’ mobilizou vários setores da sociedade de Patos e contou com a presença de Lídia Moura

Foto: Divulgação

“Até o momento já tivemos cerca de setenta denúncias. Nós temos uma população com mais de cento e três mil habitantes sem contar a população flutuante. Em quase 120 dias, não dá nem uma mulher por dia. Mas nós sabemos que essas mulheres não nos procura, nem a Polícia Civil nem os órgão de proteção, porque elas têm medo, elas têm vergonha, elas se sentem constrangidas”, discursou a delegada da Delegacia Especializada da Mulher do município de Patos, Silvia Alencar, durante a mobilização em proteção à vida da mulher e combate à violência doméstica. 

O Dia D da campanha ‘Diga Não à Violência Doméstica’, uma realização da Prefeitura de Patos, através da Secretaria Executiva de Políticas para a Mulher, aconteceu na manhã desta segunda-feira (24), em frente ao prédio da prefeitura e contou com a participação da secretária estadual da Mulher e da Diversidade Humana, Lídia Moura, secretários municipais, vereadores, representantes de escolas particulares, Polícia Militar e demais setores da sociedade civil de Patos. 

Estando na sua segunda edição, a secretária executiva de Políticas para a Mulher, Brígida Emmanuelli, lembrou que na edição passada já havia dito que sozinha não conseguiria desenvolver as políticas públicas necessárias, e voltou a repetir que precisa do engajamento de toda a sociedade. Ela externou também a sua felicidade em ver as pessoas engajando e fortalecendo a causa.

 “O objetivo maior da Secretaria da Mulher é realmente essa demonstração de apoio e respeito às mulheres vítimas de violência. Eu fico feliz com esse momento, porque todas as pessoas que estão aqui conosco fazem a diferença e nos ajudam, enquanto Secretaria da Mulher, a fazer e levar a demonstração de apoio e respeito às vítimas de violência. Faz um ano que eu fiz essa fala: sozinha eu não consigo, eu preciso de ajuda, nós precisamos de ajuda”, ressaltou. Brígida ainda destacou o apoio e comprometimento do prefeito Nabor e do vice-prefeito Jacob Souto que permitem a secretaria fazer a diferença no desenvolvimento de políticas públicas voltadas às mulheres.

Representando o prefeito Nabor Wanderley, que está cumprindo agenda em Brasília, o vice-prefeito Jacob Souto referendou a fala de Brígida e enfatizou que para a gestão municipal todas as secretarias possuem o mesmo grau de importância, enaltecendo o trabalho desempenhado pela secretária desde que assumiu a pasta em 2022. “Brígida depois que assumiu a Secretaria Executiva da Mulher, no ano de 2022, deu uma nova cara à secretaria porque o prefeito Nabor tem dito em todos os locais, que não há secretaria mais importante uma do que outra. Todas têm o mesmo peso. Todas são prioridades. E a secretaria da mulher tem recebido todo o apoio necessário para fazer com que essa política de não a violência doméstica seja amplamente divulgada dentro do nosso município”, pontuou. 

Para Lídia Moura, o Dia D foi um momento muito importante e muito emblemático, pois é um dia que faz lembrar a necessidade constante de desenvolver políticas públicas de enfrentamento à violência doméstica. Ela também afirmou que não é possível ser feita apenas por um ente ou por apenas um órgão. “É por isso que precisam se somar. O Governo Federal, o Governo Estadual e o Governo Municipal porque é importante que haja envolvimento, uma transversalidade de todos os órgãos. Então, é muito importante que a Saúde, que a Educação, que todos os setores estejam irmanados para fazer essa política acontecer”.

Lídia reforçou que a política de enfrentamento à violência tem que ser feita por toda a sociedade, pois a violência acontece dentro de casa e se “a sociedade não estiver envolvida, nós não daremos conta. Nós não conseguiremos. É por isso que quando uma mulher sofrer violência, um vizinho, um colega de trabalho, um amigo, um parente, é muito importante ajudar essa mulher a sair do ciclo da violência. Ela não consegue sair sozinha. Ela precisa desse envolvimento da sociedade e uma coisa que as mulheres que sofrem violência não precisam é do julgamento”.

Durante a mobilização tiveram discursos da vereadora Fátima Bocão, da Gerente Regional do SEBRAE, Anna Sthefânia, e foi finalizado com um poema recitado pela representante da OAB/PB, Odinete Maranhão. 

*Conteúdo de responsabilidade da Prefeitura de Patos

publicidade
© Copyright 2024. Portal Correio. Todos os direitos reservados.