Início Educação

Campina Grande planeja antecipar em um mês implantação do ensino híbrido

Prefeito disse que vai distribuir equipamentos tecnológicos para estudantes e professores
Foto: Imagem ilustrativa | Divulgação

Campina Grande pretende antecipar a implantação do ensino híbrido nas escolas da rede municipal para agosto. O plano era adotar a medida no mês de setembro, mas o prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) disse neste sábado (24) a uma rádio da cidade que vai promover a distribuição de equipamentos tecnológicos para estudantes e professores, o que deve colaborar para a antecipação da modalidade de ensino.

Além da vacinação contra Covid, outro ponto que a prefeitura coloca como favorável à antecipação do ensino híbrido é a aplicação de um inquérito sorológico destinado a revelar o percentual de imunização dos profissionais da educação.

“Caso seja constatado um elevado nível de imunidade serão então tomadas todas as providências para o retorno gradual da rede municipal”, disse o prefeito.

Ele disse que a prefeitura não pretende recomeçar as aulas somente em 2022, o que causaria ainda mais prejuízos para os 36 mil alunos da rede municipal.

“A prefeitura avança na educação, apesar da pandemia do novo coronavírus, citando o projeto de educação continuada, por meio do Campina na Escola (Canal 3.2), além das ações de recuperação e de manutenção de mais de 60% das escolas e creches municipais”, disse.

A distribuição de equipamentos para alunos e professores da rede municipal de Campina Grande é parte do planejamento da prefeitura no Programa Campina na Escola, que assegura aulas pela TV aberta (canal 3.2).

Comentários

  • Joselma disse:

    O ciclo de vacinados ainda não foi concluido. Nesse planejamento da prefeitura deve- se considerar também a saúde de todos os envolvidos para que aconteça de fato as aulas hibridas.

  • Itamir capozzoli disse:

    Tenho uma sugestão a dar: como pai de uma criança que estuda na creche, tenho visto os professores contratados muito desmotivados pois os mesmos estão recebendo menos de um salário mínimo e trabalhando mais que os professores concursados, e eles estão sem entender o pq de tantos descontos… A exigência das gestões das unidades são mais pra as professoras contratadas e poupam as concursadas, sendo assim as contratadas se sobrecarregam e ficam desanimadas pelo pouco salário que vem recebendo

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.