Campinense vence nos pênaltis e sobe para a Série C

Torcida rubro-negra comemorou o acesso neste sábado (16), no estádio Amigão, em Campina Grande
Mauro Iguatu (Foto: Divulgação/Campinense)

A nova geral de torcedores vai acompanhar pela primeira vez o time do Campinense nas disputas da Série do Campeonato Brasileiro. Os mais antigos estavam cansados de esperar a quebra de um tabu que durou dez anos. Finalmente a espera chegou ao fim, com a vitória da Raposa contra o América de Natal, nas cobranças de pênaltis.

A torcida rubro-negra comemorou o acesso neste sábado (16), no estádio Amigão, em Campina Grande. Mas foi um jogo sofrido, pois Campinense e América empataram em 0 a 0 no tempo normal, pela quarta fase da Série D do Campeonato Brasileiro. Com isso, a decisão caminhou para os pênaltis.

Mais uma vez brilhou a estrela do goleiro experiente Mauro Iguatu, que definitivamente entra para a história do futebol de Campina Grande. Ele já tinha ajudado o rival do Campinense, o Treze, na Série C, em 2018, e agora volta a conquistar o mesmo acesso com a camisa da Raposa.

Cobranças de pênaltis

O Campinense abriu a sequência das cobranças com o meia Dione, que bateu e o goleiro do América defendeu. Mas o time rubro-negro acertou as cobranças efetuadas pelo zagueiro Cleiton, os atacantes Anselmo e Matheus Régis e com o goleiro Mauro Iguatu.

O América-RN conseguiu converter com o volante Patrick Allan e o atacante Erick Varão. Mas não foi o suficiente para evitar a derrota, pois o meia Esquerdinha e o lateral-direito Roni desperdiçaram. Final de cobranças de pênaltis, com vitória do Campinense por 4 a 2.

Escalações

O Campinense conquistou o acesso com: Mauro Iguatu, Felipinho, Michel Bennech (Cleiton), Itallo e Filipe Ramon; Rafinha (Josilson), Serginho Paulista, Marcelinho (Dione) e Fábio Lima (Juliano); Marcos Nunes (Matheus Régis) e Anselmo.

O América-RN fica pelo caminhou na Série D, com: Reynaldo, Felipinho (Roni), Jean Pierre, Rômulo e Iranílson (Leozinho); Wellington Cézar, Luís Henrique, Erick Varão e Esquerdinha; Alvinho (Patrick Allan) e Mazinho (Weslley Smith).

Arbitragem

  • Árbitro – Paulo Roberto Alves Júnior (PR)
  • Assistentes – Victor Hugo Imazu dos Santos e Sidmar dos Santos Meurer (PR)
  • Árbitro de vídeo – Adriano Milczvski (CBF-PR)
  • AVAR – Luciano Roggenbaum (CBF-PR)
publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.