Moeda: Clima: Marés:
Início Policial

Caso Kelton Marques: com réu foragido, crime completa oito meses e família pede justiça

Ruan Ferreira de Oliveira dirigia carro a 163 km/h e ultrapassou sinal vermelho, atingindo motoboy
Ruan Ferreira de Oliveira, Kelton Marques,
Acusado de matar motoboy, Ruan Ferreira de Oliveira continua foragido (Foto: Arquivo/Portal Correio)

A morte do motoboy Kelton Marques de Sousa, de 33 anos, vítima de crime de trânsito na Avenida Flávio Ribeiro Coutinho (Retão de Manaíra), em João Pessoa, completa 8 meses nesta quarta-feira (11). Réu no caso, Ruan Ferreira de Oliveira, nunca foi encontrado. Em entrevista à TV Correio, familiares da vítima falaram de saudade e sentimento de revolta e pediram justiça para a morte do motoboy.

“É uma espera longa e desgastante. Não é que a gente não saiba quem matou Kelton. A gente sabe, as autoridades sabem. Ruan é o assassino do meu filho. O problema é que a polícia da Paraíba não encontra Ruan. Eles fazem várias prisões, prisões difíceis, mas Ruan não é preso. Gostaria de uma resposta da Secretaria de Segurança. Cadê Ruan? Por que ele não é preso? Por que não quebram o sigilo telefônico da família dele? A gente só quer que ele seja preso e julgado”, diz Jailson de Sousa, pai de Kelton.

A viúva do motoboy, Tatiana Andrade, disse que o sofrimento da família aumenta a cada mês. Ela e Kelton tiveram duas filhas. “A vida do meu marido foi interrompida. Ele saiu de casa para trabalhar e não voltou. A cada minuto, é uma dor, pois sabemos que não foi feita justiça. Meu sofrimento é diário, mas tudo se torna mais doloroso a cada dia 11. Eu preciso que seja feita justiça, que esse assassino seja preso”, apelou.

A família de Kelton Marques acredita que Ruan Ferreira de Oliveira não fugiu da Paraíba e conta proteção política. Em novembro do ano passado, dois meses após o crime, familiares de Kelton já apontavam que Ruan teria envolvimento amoroso com a filha de um ex-prefeito do Sertão e o próprio pai do acusado também já teria se candidatado a prefeito na região.

Quem tiver informações sobre o paradeiro dele pode denunciar por meio do telefone 197. A denúncia é gratuita e sigilosa.

Entenda o caso

Vídeo gravado de dentro do carro conduzido por Ruan Ferreira de Oliveira mostra que o automóvel trafegava a 163 km/h e ultrapassou o sinal vermelho no cruzamento onde aconteceu o choque com a motocicleta. A gravação foi obtida pela família da vítima junto à polícia e cedida à imprensa.

Kelton seguia em velocidade normal pela Avenida Miriam Barreto Rabêlo quando foi atingido por Ruan. Ele foi arremessado a alguns metros e teve morte instantânea.

O carro se chocou com o muro de um condomínio e ficou parcialmente danificado. Imagens registradas por câmeras de segurança da região mostram o motorista fugindo a pé, aparentemente sem ferimentos. Latas de cerveja vazias e maconha foram encontradas dentro do automóvel de Ruan Ferreira de Oliveira.

Desde a data do crime, 11 de setembro de 2021, familiares e colegas de Kelton Marques já realizaram vários protestos na Capital para cobrar justiça.

No dia 13 de setembro, o primeiro advogado contratado por Ruan Ferreira de Oliveira falou à Rede Correio Sat que o cliente iria se entregar e que ele a família estavam recebendo ameaças. A apresentação voluntária à polícia não ocorreu e outro advogado assumiu o caso cerca de uma semana depois.

Portal Correio buscou contato com a nova defesa de Ruan Ferreira de Oliveira por várias vezes, mas nunca obteve resposta.

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.