Caso Rebeca: Secretário diz que provas contra padrasto são suficientes para prisão

24
COMPARTILHE

O secretário de Segurança da Paraíba Cláudio Lima disse nesta quara-feira (1º) que se sente “frustrado” por ainda não haver uma solução para o caso da estudante Rebeca Cristina, de 15 anos, morta em 2011. Lima acredita que o padrasto dela, investigado no caso, é o autor do crime porque, na opinião dele, haveria provas suficientes. Em entrevista ao Portal Correio, o secretário ainda falou sobre a reunião com o ministro da Justiça em Brasília, contratação de policiais concursados e a situação da segurança pública nas ruas. Assista à entrevista abaixo.

Leia também:

Promotora diz que padrasto é suspeito no caso Rebeca; DNA de um PM foi coletado

Promotora diz que morte de Rebeca pode ter relação com tráfico de drogas

Delegado diz que Justiça não aceitou pedido de prisão de suspeito no caso Rebeca

Lima abre a entrevista resumindo o que foi discutido na primeira reunião entre secretários de Segurança dos Estados e o ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Morais, nessa terça-feira (31), em Brasília. Além de assuntos referentes à segurança pública de forma geral, ele destacou que o foco da discussão foi o combate à violência contra mulher. O secretário descreveu quais as ações da segurança já estão em execução na Paraíba para a proteção da mulher.

Agora, o promotor Marcos Leite é é o responsável pelo caso Rebeca. A promotora Artemise Leal deixou o caso por motivos pessoais que não foram divulgados. O inquérito policial já tem quase 2 mil páginas e foram ouvidas 150 pessoas e feito 50 DNA.

Depois, o secretário segue falando sobre ações do grupo ‘Fui Assaltado JP’, no Facebook, que reúne relatos de pessoas vítimas de crimes na Grande João Pessoa. Nessa terça (30), uma petição com o registro de 350 casos de assaltos contabilizados só nesse grupo foi entregue à Secretária de Segurança com uma cobrança para que haja ações efetivas no combate à violência nas ruas.

Cláudio Lima disse que, até a tarde desta quarta (1º), ainda não tinha recebido esse material, mas destacou o que tem sido feito pela Segurança para reduzir os índices de assaltos nas ruas. Ele salientou que é obrigação do cidadão fazer cobranças como essas e ressaltou que as vítimas devem registrar queixas em delegacias para que colaborem de forma efetiva contra a violência.

Antes, no Correio Debate da Rede Correio Sat, ele falou que o problema da segurança pública vai além do combate nas ruas e do reforço no policiamento, mas depende de políticas voltadas para a educação. No radiofônico, ele detalhou que não basta só aumentar a quantidade de policiais, mas o governo federal, junto com os Estados, precisa desenvolver políticas mais amplas que envolvam principalmente a educação.

Continuando a entrevista ao Portal Correio, Cláudio Lima explicou sobre a situação dos cerca de 700 policiais concursados, mas que ainda não foram contratados. O secretário esclarece que o Estado não tem condições financeiras para efetivá-los.

Leia também: Suplentes em concurso da PM protestam para que sejam contratados, em JP; vídeo

No fim da entrevista, Cláudio Lima reitera o que adiantou sobre o caso Rebeca ao Correio Debate da Rede Correio Sat. Ele disse que as provas encontradas são suficientes para incriminar o padrasto da vítima e que ele deveria ter sido preso.

Leia também: Mais de 4 mil pessoas usam grupo no Facebook para relatar assaltos na Grande JP

Assista à entrevista do secretário Cláudio Lima ao Portal Correio.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas