Início Futebol

CBF apresenta relatório sobre retorno seguro do futebol durante pandemia

No total, foram realizadas mais de 89 mil testes, com o monitoramento de 13.237 atletas entre todas as competições
Walter Feldman, secretário-geral da entidade, apresentou relatório (Foto: Thaís Magalhães/CBF)

Na manhã desta quarta-feira (10), a CBF apresentou o Relatório Operacional da Comissão Médica Especial. O Secretário-Geral Walter Feldman mediou uma videoconferência que exibiu os resultados do protocolo sanitário implementado pela CBF ao longo da retomada das competições da temporada 2020, que evidenciam a segurança que a entidade tem para manter a realização dos jogos de futebol no país.

“Apresentamos a aplicação do protocolo sanitário – com a convicção ainda mais forte, que já tínhamos do ponto de vista teórico naquela oportunidade, em agosto, quando retomamos. Mas agora com a convicção na prática, de que o futebol é seguro, controlado, responsável e tem toda as condições de continuar”, falou Walter Feldman na abertura da videoconferência.

O trabalho da CBF com o protocolo sanitário para a Covid-19 começou em março de 2020, assim que as competições do futebol brasileiro foram paralisadas. Foram cerca de quatro meses sem jogos de futebol, com a realização de seminários com infectologistas, pesquisadores das universidades e 142 médicos de clubes, além dos médicos das seleções principais adulta e base.

O resultado dessa intensa troca de experiências foi a publicação do Guia Médico de Sugestões Protetivas para Retorno às Atividades do Futebol Brasileiro, em junho de 2020, e, posteriormente, a elaboração da Diretriz Técnica Operacional para o Retorno do Futebol.

A Diretriz Técnica Operacional foi um documento gerado a partir de alguns pilares estabelecidos pelo protocolo médico, entre eles a realização de inquéritos epidemiológicos e testes RT-PCR; a avaliação clínica diária pelo médico do clube; testes RT-PCR em indivíduos assintomáticos em média a cada 3 dias.

Resultados

Os dados apresentados pela CBF configuram o maior estudo sobre a realização do futebol durante a pandemia de Covid-19 em todo o mundo. No total, foram realizadas mais de 89 mil testes, com o monitoramento de 13.237 atletas entre todas as competições. A taxa de testes com resultados positivos foi de 2,2%. O acompanhamento dos jogadores também contou com a análise de 116.959 inquéritos  epidemiológicos e 4.860 planilhas de jogos.

No relatório, foi apresentado um gráfico comparando a taxa de transmissão comunitária da Covid-19 no país e dentro do futebol. Com base nos dados apresentados pelo estudo, a Comissão Médica Especial da CBF também pôde concluir que não há evidência de contaminação cruzada em campo, a partir da observação dos resultados dos testes PCR nos dias seguintes dos times que tiveram três ou mais jogadores afastados de um jogo por resultados positivos para a Covid-19.

Mudanças

A CBF também anunciou atualizações no protocolo sanitário para a temporada de 2021, como: teste RT-PCR em média 72 horas antes de cada partida para atletas e extensivo à comissão técnica no campo de jogo; teste RT-PCR após 72 horas do retorno da delegação nas rodadas como visitante, se o intervalo para a partida seguinte exceder cinco dias; notificação compulsória dos casos positivos à Comissão Médica Especial da CBF – obrigatória para análise de liberação do isolamento respiratório; rastreamento epidemiológico em viagens aéreas, hospedagens e relações de contatos próximos.

Palavras Chave

EsporteFutebol
publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.