Início Geral

C?cero sai da toca

Estava escrito. Dificilmente, um político com a representação de um Cícero Lucena passaria ao largo do começo ao fim de uma eleição. Silente no primeiro turno pela sabida e decantada preterição na chapa, o senador tucano resolveu abreviar seu auto-exílio e distância do pleito. Antes de tudo, por uma questão de sobrevivência.

Experiente, Cícero percebe que dos líderes os liderados e seguidores esperam posições. A indiferença não combina com quem pretende se manter na vida pública disputando espaços de poder. Ao se despir da neutralidade, foi esse o primeiro recado dado por Lucena: o de que não abandonou a política. E nem pretende.

Enfronhado no comando nacional do PSDB e partícipe da coordenação de campanha do mineiro Aécio Neves, o senador paraibano mais cedo ou mais tarde teria que emprestar sua contribuição ao projeto do partido, também, no seu Estado, o único no Nordeste em que a sigla concorre nesse segundo turno.

Negar esse gesto à sua legenda, num momento tão crucial, seria ruim aos olhos da direção nacional, de quem Cícero obviamente espera espaços futuros e reciprocidade em caso de eleição de Aécio à Presidência. Esse apelo nacional e o contexto das perspectivas tiveram muito peso na decisão do senador, além da óbvia eliminação entre Ricardo, um algoz, e Cássio, um parceiro de longas datas.

Afora essa conjuntura, alijar-se completamente do processo eleitoral paraibano seria entregar de bandeja seus espaços e liderança em João Pessoa. Em qualquer cenário, seja Cássio ou Ricardo o vencedor, terá voz ativa na sucessão municipal. Mantém-se no jogo e não se anula, antecipadamente.

Cássio eleito, Cícero tem como disputar internamente com Ruy Carneiro a precedência para disputar a Prefeitura em 2016. Na pior das hipóteses, ganharia crédito para cobrar em projeto futuro. Sendo Ricardo o eleito, tem o nome na praça para concorrer com o PSB e Luciano Cartaxo, juntos ou separados. Com um diferencial: Lucena ainda mantém preservado o discurso de contraponto a Ricardo, coisa que PT e PMDB, ao aderirem nesse pleito ao socialista, perderam.

Banner Rodapé

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.