Início Colunas
Ivo Marques

Quando os clubes paraibanos estavam na pré-temporada, os torcedores já começaram a fazer prognósticos, e até nós da imprensa, mesmo acostumados com o ditado “treino é treino, jogo é jogo”, fomos levados a formar conceitos sobre as equipes e prevê sucesso ou desastre delas na temporada que se inicia. Se for levar em conta a maioria das opiniões, os prognósticos estão todos indo por água abaixo, nos primeiros jogos oficiais, pelo menos para o trio de ferro do futebol do Estado. Se não vejamos.

O atual campeão paraibano, o Treze, fez uma péssima pré-temporada e os primeiros jogos-treinos foram um desastre. Todo mundo caiu de pau no estreante técnico Marcelinho Paraíba. Vieram os jogos da Copa do Nordeste e o candidato a eliminado por antecipação, passou a ser um dos favoritos à classificação para a segunda fase da competição. Em apenas 3 jogos, o Galo fez o dever de casa e encarou de igual para igual uma equipe da Série B e outra da Série A, na casa deles. No último jogo contra o Fortaleza, por muito pouco, não venceu na Arena Castelão. Na verdade, foi o todo favorito que correu muito para conseguir um empate com o Galo, porque o time paraibano estava ganhando. Por enquanto, o Treze, ex-candidato forte a lanterna, tem o mesmo número de pontos do líder Ceará.

Já o Botafogo fez uma excelente pré-temporada, mostrando um bom futebol e projetando uma temporada de muitas vitórias e sucesso. Porém, quando a bola rolou para valer, o Belo não conseguiu vencer ninguém. Perdeu o atacante Bruno por contusão, trouxe Rafael Oliveira, um grande jogador, mas com sérios problemas físicos, e aí o time está sem um atacante de referência. O resultado disto é que o time joga bem, cria oportunidades de vencer, mas não tem quem bote a bola para dentro. Isto ficou muito claro no jogo contra o Sampaio Corrêa. Aí, aqueles torcedores que tiram conclusões antecipadas, já começam a dizer que é o técnico Marcelo Vilar que não presta, que a equipe é ruim etc etc. A verdade é que nem o técnico, nem o elenco é tão ruim assim. Mas, não dá para negar a frustração que vem causando, depois de uma pré-temporada tão promissora.

E o Campinense, o que dizer? Este foi do céu ao inferno na boca do torcedor duas vezes. Primeiro, diante da crise financeira, ninguém acreditava nos jogadores desconhecidos que o clube contratou e previram um desastre na temporada. Começa a pré-temporada e o time joga um bolão nos amistosos. Aí o pessimismo do torcedor virou otimismo e a Raposa parecia estar ressucitando. Mas, na primeira partida oficial, pela Copa do Brasil, o time deu um vexame nacional. Perdeu para o famoso, mas com um time modesto atualmente, Bahia por 7 a 1, dentro do Amigão. Nem o mais pessimista torcedor da Raposa, ou o mais ferrenho rival do Treze poderia prever um desastre desse tamanho. O resultado é que os mesmos torcedores agora preveem até um rebaixamento do clube no Campeonato Paraibano.

A verdade é que ainda é muito cedo para se tirar uma conclusão do que poderão render essas equipes ao longo da temporada. Dá apenas para começar a apostar, sem segurança, no rendimento delas em um futuro próximo. Porém, muita água ainda vai passar por baixo da ponte.

O Botafogo pode recuperar o atacante Rafael Oliveira e os gols aparecerem, ou quem sabe o Sávio possa entrar bem na equipe. Desta forma, as vitórias poderão aparecer e o clube conseguir ainda uma classificação para a segunda fase da Copa do Nordeste. Mas também é possível que essa campanha ruim permaneça e o Belo termine entre os últimos colocados do grupo B, como está hoje.

O Galo pode ter problemas de contusão, faltar boas peças de reposição e cair de rendimento, perdendo assim a oportunidade real de ser um dos classificados para seguir na Copa do Nordeste. Ou continuar mostrando um grande futebol e passar e ir longe na competicão regional. Por que não?

Acho que a próxima rodada dará uma ideia mais clara de como poderá ser o restante da campanha dos clubes paraibanos na Copa do Nordeste. O que dá para notar, até agora, é que não há grandes favoritos ainda a ganhar o título. Os chamados grandes ainda estão bem abaixo do que se espera deles, sobretudo na parte física. Aí é a vez dos considerados pequenos tirarem proveito disso. Bahia e Fortaleza sofreram muito para conseguir empatar com Botafogo e Treze respectivamente e provaram que nessas condições atuais, não podem ser considerados tão favoritos assim diante dos modestos Botafogo e Treze.

Já o Campinense, espero que a goleada histórica para um Bahia, que vai mal no Campeonato Baiano e na Copa do Nordeste, tenha servido de lição e que o técnico Ederson Araújo corrija muita coisa antes do início do Campeonato Paraibano. Com o elenco que dispõe será uma tarefa muito difícil, mas não impossível. Vamos ver a Raposa em ação nas primeiras rodadas do Paraibano, para fazermos uma análise melhor.

Certo mesmo é que está muito cedo e vale ainda aquela máxima: “nada é tão ruim que não possa melhorar, e nada é tão bom que não possa piorar. Vamos que vamos.


[email protected]
immvirtualstore.com

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.