Início Colunas
Ivo Marques

A fase de classificação do Campeonato Paraibano está chegando ao final. Restam apenas 3 rodadas para apontar dois semifinalistas diretos e os quatro que vão disputar as outras duas vagas para as semifinais, além do lanterna que será rebaixado para a segunda divisão. As disputas estão acirradas na parte de cima e na debaixo da tabela de classificação.

O Botafogo, após a vitória sobre o São Paulo Crystal, se isolou na liderança com 10 pontos. Atrás dele uma disputa embolada com 3 clubes com 7 pontos, o Treze, Sousa e o Campinense. O time de Cruz do Espírito Santo foi quem levou a pior na quarta rodada, saindo da segunda para a quinta colocação, com 5 pontos.

A outra disputa acirrada é entre 3 clubes, para fugir do rebaixamento. Nacional, Perilima e Atlético estão com 2 pontos cada e qualquer perda de pontos, a partir de agora, será fatal. Não precisa nem dizer que o final do primeiro turno será emocionante, com uma disputa ponto a ponto e gol a gol, nos dois extremos da tabela de classificação.

Se o São Paulo foi o grande perdedor da rodada, o Campinense foi o grande vencedor. Isto porque a Raposa conseguiu uma vitória heroica sobre a Perilima, em um jogo que estava perdido. O Rubro-negro não fez uma grande apresentação e perdia o jogo por 3 a 2, quando a partir dos 40 minutos da segunda etapa, começou uma reação e marcou dois gols virando o jogo.

Foi uma mistura de muita garra com uma boa dose de sorte, que juntas levaram o Campinense a dar um salto na tabela e entrar de vez na briga a apenas três pontos do líder Botafogo, time que vai enfrentar em casa, nesta quarta-feira, numa disputa direta, com a possibilidade de assumir a liderança, desde que vença bem o Belo, com uma boa diferença de gols. Para muitos, uma missão impossível, mas no futebol nada é impossível.

Após a rodada, o Nacional de Patos, que passou a lutar para fugir do rebaixamento, tomou uma medida drástica, dispensou 13 jogadores que se juntaram aos outros 6 dispensados logo após a derrota para o Campinense. Um clube dispensar 19 jogadores após o início de um campeonato de tiro curto, com apenas 7 rodadas, é inacreditável, um exemplo claro de falta de planejamento e total desorganização.

Para muitos, a atitude do Nacional foi motivo de grande surpresa, mas para mim não. Disse inclusive aqui na minha coluna, que não acreditava no Atlético, nem no Nacional, que resolveram entregar os departamentos de futebol a empresas. O Trovão Azul viu logo a besteira que estava fazendo, antes mesmo da bola rolar, mas aí já foi tarde, perdendo toda uma pré-temporada para formar um outro time de forma urgente. O resultado está vindo dentro de campo. Em quatro partidas, o time não conseguiu uma única vitória.

No caso do Nacional, o exemplo do que aconteceu no ano passado com o Campinense não serviu de exemplo para a diretoria do Canário do Sertão. O clube contratou a mesma empresa, que por sua vez, repetiu o que fez na Raposa, trazendo um monte de perna de pau. Quem não se lembra do número de técnicos e jogadores que entraram e saíram do Campinense no ano passado?  A mesma coisa está se repetindo como Canário do Sertão. Se a competição fosse mais longa, talvez o número de dispensas e contratações seria muito maior, semelhante ao que foi na Raposa, que envolveu cerca de 80 atletas.

Acho muito estranho essas contratações de empresas por parte de nossos dirigentes. Todo mundo sabe os interesses dessas empresas e sabe que nunca são os mesmos interesses dos clubes. Por que contratam elas? Ou são ingênuos e amadores, ou essas empresas oferecem algum tipo de benefício aos clubes ou dirigentes, que não conhecemos.

Todo mundo já está cansado de saber o final dessa história de parceria. É preferível o clube contratar um time modesto, por causa da crise financeira, do que apelar para essas empresas, se livrando de mais despesas, porém fazendo campanhas ridículas com um entra e sai de jogadores.

Ouvi da boca de um membro da diretoria do Nacional que o clube não vai cair e que tirou quem não estava se esforçando e contratou bons jogadores. A pergunta que fica no ar é se haverá tempo suficiente para entrosar estes novos jogadores com o resto do grupo, para fazer uma grande diferença no final. Só restam 3 partidas. Vamos esperar para ver o que vai acontecer.


[email protected]

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.