Início Colunas
Josival Pereira

Portais e blogs de notícias do Estado destacaram uma declaração do governador João Azevedo, em entrevista na sexta-feira, segundo a qual ele demonstra total interesse em ter o ex-presidente Lula em seu palanque nas eleições de 2021. “Se Lula tem um, dois, três ou dez palanques na Paraíba, isso não importa. No meu ele terá espaço (…)”. Eis o teor da fala.

Se a posição do governador decorre de uma convicção político-ideológica ou de uma compreensão de que a melhor solução de gestão para o Brasil depois de Bolsonaro é Lula, tudo bem. Mas se derivar de interesse eleitoral, talvez não seja para tanto.

Não existem dúvidas da grandeza da liderança popular do ex-presidente Lula, mas, historicamente, sua participação nas eleições na Paraíba não são decisivas. Basta ver o retrospecto das eleições estaduais para se verificar que o apoio do líder petista não tem resultado em vitória.

Em toda sua história político-eleitoral na Paraíba, Lula só pode se dizer vencedor em uma única eleição para governador. Ironicamente, a eleição do governador João Azevedo, em 2018, da qual nem participou efetivamente por se encontrar preso em Curitiba. Nas demais, os candidatos apoiados por Lula nunca se deram bem nas urnas.

Nas eleições ocorridas entre 1989 e 1994, o PT disputou para governador com candidato próprio, que sempre obtiveram modestas votações. Em 1998, o PT se coligou com o PSB do deputado Gilvan Freire, que foi candidato a governador, tendo ainda os apoios do PV e do PC do B. O governador Maranhão ganhou de lavada. Até aí, então, os candidatos de Lula obtiveram apenas pequenas votações na Paraíba.

Nas eleições de 2002, quando venceu pela primeira vez para presidente, Lula apoiou a candidatura de Roberto Paulino (PMDB). O eleito foi Cássio Cunha Lima (PSDB). Em 2006, Lula apoiou a candidatura de Maranhão. Cássio venceu novamente. Em 2010, Lula repetiu o apoio a Maranhão. O eleito foi Ricardo Coutinho (PSB). Nestas duas últimas eleições, os candidatos a vice-governador eram do PT. Em 2014, Lula gravou para o guia eleitoral de Vital Filho (PMDB) e Ricardo foi reeleito. Somente em 2018, João Azevedo, o candidato apoiado por Lula venceu as eleições para governador.

Lógico que o apoio de Lula e do PT podem ser significativos por questões estratégicas, bem específicas, mas talvez não sejam fundamentais para o resultado final. Como não tem sido. Assim, a história recomenda aos candidatos na Paraíba a entrarem no jogo com suas próprias fichas e o PT, a baixar a bola.

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.