Início Colunas
Sony Lacerda

Será que a essa altura do campeonato, usar uma morte de um soldado para incitar motins, é o melhor que podemos fazer? Me desculpem. Vocês precisam urgentemente repensar o que falam e o crédito que estão dando a discursos vazios, políticos, esdrúxulos.

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL) acusou a colega de Parlamento Bia Kicis (PSL), que é presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, de estimular um motim da Polícia Militar na Bahia com o governador Rui Costa. “Mais uma vez utiliza o cargo para pregar a violência contra o Estado de Direito e a Democracia. É um crime contra a Constituição”, disse Freixo.

Ele se refere ao caso da morte do soldado Wesley Soares Góes neste domingo (28) que, armado, foi ao Farol da Barra, tradicional ponto turístico de Salvador, fardado e armado com um fuzil e uma pistola, atirando para o alto. Fala-se em surto.

A Polícia Militar isolou a área e chamou a equipe do BOPE para tentar negociar com o policial. Em um certo momento, Wesley atirou contra os militares e acabou atingido. O policial foi levado ao hospital, mas não resistiu e morreu na madrugada desta segunda-feira (29).

“Bia Kicis e demais deputados extremistas querem alimentar o caos usando a PM para provocar uma guerra com governadores e justificar o golpe. O Congresso Nacional precisa reagir imediatamente”, disse Marcelo Freixo. Após a repercussão negativa do caso, a deputada apagou as postagens feitas em suas redes sociais.

No post, ela afirmava que o PM foi “abatido pelos companheiros” e ainda que “morreu porque se recusou a prender trabalhadores”. Ela apagou o post, mas o print foi feito. As redes sociais e os seus integrantes não brincam em serviço. Já falamos sobre isso por aqui. A narrativa construída pela deputada não se sustenta, além de que tem sido construída como fake news pela oposição contrária aos decretos dos governadores. É de se perguntar: Em nome de que, ou de quem, Bia Kicis tenta incitar motins?

É preciso deixar claro que nenhum dos que de dizem contrários aos decretos apresentaram, até agora, soluções concretas para barrar o avanço da Covid-19, que já matou mais de 300 mil brasileiros. Bia Kicis tem sim direito a opinião, mas o pessoal jamais deverá se sobressair ao profissional. Os que usam desse artifício, apenas pare para analisar, apenas tentam capitalizar votos. Na Paraíba, poderia citar uns cinco. Não façam isso. Não “vendam” desserviço” em cima de quem já está frágil.

Vê-se de cara que se trata de interesses políticos ou pelo simples fato de ser “do contra”, sem argumentos. De nada adianta motim, fake news, se as pessoas continuam morrendo. De quem é a culpa? De todos. Do líder maior da nação ao comandados.

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.