Início Colunas
Ivo Marques

Treze e Botafogo já iniciaram a pré-temporada e esta semana, outros clubes também começam as atividades visando a temporada 2021. E aí eu sou parado na rua pelo torcedor que pergunta o que eu espero do próximo Campeonato Paraibano. Essa não é uma resposta fácil para mim, porque a bola nem rolou ainda. Os clubes ainda estão contratando e muitos dos atletas que estão desembarcando na Paraíba são ilustres desconhecidos e alguns passaram por equipes sem expressão.

Com quase todos os clubes paraibanos sofrendo uma grave crise financeira, com exceção dos clubes empresas (Perilima e São Paulo), a política do bom e barato é quase uma unanimidade e convenhamos que é muito difícil montar um grande time competitivo, sem altos investimentos.

A primeira vista, Botafogo e Treze são os grandes favoritos ao título, mesmo não estando passando por um bom momento financeiro e sem condições de pagar altos salários. O Campinense é uma incógnita. O clube deve milhões e espera negociar sua dívida para poder honrar os compromissos e diminuir as dívidas. Os jogadores que têm sido anunciados talvez sejam do mesmo nível do elenco de 2020, que foi um desastre. Mas resta apostar no trabalho do bom técnico Ederson Araújo

Do Sousa, espero sempre um bom time, com condições de dar muito trabalho aos chamados grandes do nosso futebol, mas não aposto em conquista de títulos. Perilima e São Paulo são equipes que devem lutar para não ser rebaixadas. Com um poder maior de investimento, a Perilima pode de repente surpreender e fazer uma boa campanha na competição.

Já Nacional e Atlético são os clubes mais difíceis de fazer um prognóstico, porque ambas entregaram seus departamentos de futebol à empresas e este tipo de parceria costuma não render bons frutos aos clubes. No caso do Nacional, se a empresa FDA repetir o que tem feito ultimamente com os clubes parceiros, o Canário do Sertão está correndo um sério perigo de ser rebaixado.

No Atlético, não se pode apostar nem no fracasso nem no sucesso. A H9 Soccer é uma ilustre desconhecida dos paraibanos e tanto pode trazer bons atletas e formar um time forte, ou usar o clube com outro tipo de objetivo. Uma coisa é certa, a princípio, não vejo vantagem para uma empresa investir, gastar tanto, sem nenhum retorno, já que aparentemente, tanto Nacional de Patos como Atlético não têm muito o que oferecer a essas empresas que são privadas e visam o lucro.

A quem diga que o lucro dessas empresas está na venda de jogadores. Mas seria o futebol paraibano uma grande vitrine para revelar jogadores, para chamar a atenção dos grandes clubes do Brasil e até do exterior? A pergunta fica no ar e não dá para fazer um prognóstico, antes de ver as primeiras rodadas da competição.

Após essas explicações, e por causa destes motivos mencionados aqui, infelizmente espero um campeonato com o nível muito baixo e deficitário para os clubes, porque não se pode garantir que o público será autorizado a retornar aos estádios até o final da competição.
A minha ansiedade é talvez igual à dos torcedores que pediram minha opinião. Quero ver a bola rolar para analisar bem o potencial dos clubes. E isso só vai acontecer a partir do dia 17 ou 18 de março.

Mais esportes siga o Instagram @blogdoivomarques

E-mail para contato sugestões, análise e críticas [email protected]

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.