Início Colunas
Josuel Gomes

No final de 2020, quando fiz meu orçamento pessoal para 2021, percebi que as minhas contas eram em vários bancos. Sendo assim, resolvi unificá-las, afinal é alto o custo para manter uma conta corrente. Dessa maneira, decidi manter apenas a conta da Caixa Econômica Federal (CEF) por ter um financiamento imobiliário, no qual colocam “algemas” em você para ficar até o final do contrato. Assim, como a conta da minha empresa é em um shopping da cidade e a conta pessoa física é em outro endereço, resolvi deixar tudo no mesmo lugar.

Como a CEF estava com o horário reduzido, fiz uma ligação e solicitei a transferência. A partir daí ocorreu uma verdadeira via crucis:

  1. Primeiramente, fui orientado a abrir uma nova conta e depois fui encaminhado para um correspondente bancário, que solicitou toda documentação, mesmo elas já estando na agência, tendo em vista, que já sou cliente;
  2. Em seguida, foi emitido um contrato e marcaram um dia para que eu pudesse ir até a agência assinar (isso tudo com a CEF lotada, pois estavam com o quadro de funcionários reduzidos).

E essa foi a minha experiência para abrir a conta.

E não acaba por aí.

Em um dos bancos que fui encerrar a minha conta, que era cliente de terceira geração: Paraiban, Real e agora Santander. Ao chegar informei que queria encerrar a minha conta e esperava uma conversa, pois era um casamento de 20 anos aproximadamente, mas para minha surpresa a pessoa que me atendeu limitou-se a perguntar se eu já tinha zerado a minha conta. Sem mais nem menos eu zerei a conta e assinei o documento, e até hoje não recebi se quer uma pesquisa perguntado porque deixei a agência.

Então resolvi abrir uma conta no NUbank!

Hoje é o maior banco digital do Brasil avaliado em 28 bi. Entre baixar o aplicativo e fazer todo processo demorou menos de 30 minutos (quem é cliente sabe o que estou dizendo, e quem não é faça essa experiência e depois me conte).

Antes eu diria abra uma conta, mas hoje já está impregnada a palavra experiência do cliente, pois é isto que buscamos, e os mais jovens estão cada vez mais antenados com esse novo modelo de consumir um produto ou serviço. O que se quer na verdade, é viver a experencia.
Isso o que aconteceu comigo no final de 2020 é apenas um retrato do que acontece no dia a dia com todos nós, ficando a reflexão: minha empresa está mais CEF ou NUbank?

Você quer uma experiência CEF ou Nubank?
O mundo caminha para CEF ou Nubank?
Os seus filhos preferem CEF ou Nubank?
Quem está crescendo hoje em uma velocidade assustadora é a CEF ou o Nubank?

No livro “Administração 3.0”, o autor Carlos Nepomuceno, apresenta a uberização das empresas e nos faz enxergar um novo modelo de administração, saído da gestão (em que você tem uma cadeia de comando de controle, a hierarquia acontece de cima para baixo e o poder é centralizado), para um modelo de administração baseado em algoritmos, em que a figura do gerente desaparece e o poder vai para as pontas.

Por conseguinte, não é mais o gerente, o supervisor ou o setor de qualidade que vai avaliar o produto ou serviço. Dessa forma, o que vai dizer se a experiência foi boa, é o cliente, através das “estrelinhas” do uber, que classificam os motoristas, podendo o próprio algoritmo tirá-lo do sistema. Assim, não é mais necessária uma reunião de Feedback, a máquina resolve a inconsistência! Saímos dos carros sujos e motoristas sem educação (casos não esporádicos – falo isso, pois já fui taxista), para carros limpinhos e motoristas educados, que fazem de tudo para agradar e receber as estrelinhas, pois sabem que o poder está nas pontas, literalmente na ponta dos dedos dos passageiros, e uma soma de avaliações ruins faz eles perderem o cargo.

O Carlos Nepomuceno usa bastante o exemplo de uma cooperativa de taxi e o uber, para ficar claro a nova forma de administrar. Se eu quero um taxi da cooperativa, vou ligar e pedir, (algumas já devem usar aplicativos), mas se quero um uber vou direto no aplicativo do próprio.

As empresas que estão entendendo esse novo momento, que estão sabendo usar as novas tecnologias para gerar, acompanhar e melhorar a experiência dos seus clientes, serão as que tem mais chances neste momento competitivo por causa das transformações tecnológicas e sociais. Tudo está mudando e vai mudar muito mais, influenciando diretamente a forma de fazermos negócios, de nos relacionarmos.

Se quer trocar uma ideia, manda um direct para @josuelgomes
Livro: Administração 3.0
Frase:
Novas tecnologias: ou implanto no meu modelo de negócio, ou ele vai desaparecer

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.