Conab estima queda de 5,4% na safra de grãos

17
COMPARTILHE

A produção brasileira de grãos deve chegar a 196,5 milhões de toneladas na safra 2015/2016. O volume representa uma redução de 5,4%, ou 11,2 milhões de toneladas a menos do que a safra anterior, que foi de 207,7 milhões. As estimativas estão no nono levantamento da safra, divulgado nesta quinta-feira (9) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Leia mais Notícias no Portal Correio

Segundo a Conab, o resultado se deve às estiagens prolongadas e altas temperaturas que prejudicaram a primeira e segunda safras do milho durante o ciclo vegetativo. A primeira safra, com uma produção de 26,2 milhões de toneladas, sofreu uma queda de 3,9 milhões. Já a segunda safra, que começa a ser colhida em junho, tem previsão de 50 milhões, o que representa recuo de 4,6 milhões. No total, a produção nacional de milho deverá ser de 76,2 milhões de toneladas contra 84,6 milhões da safra 2014/2015.

Já a soja, responsável por 48,7% da produção nacional de grãos, mesmo afetada pelo clima, registrará produção de 95,6 milhões de toneladas, 0,6% menos que na safra passada, que foi de 96,2 milhões de toneladas.

Para arroz, feijão e algodão, a estimativa também é de recuo na produção total, por causa da redução na área plantada e pela estiagem ocorrida no período. Entre as culturas de inverno, o trigo é destaque, com uma produção de 5,9 milhões de toneladas, 6,3% superior à safra anterior, que chegou a 5,5 milhões.

O estudo da Conab mostra, ainda, que a área cultivada de grãos em todo o país deve chegar a 58,2 milhões de hectares, o que representa um aumento de 0,4% em relação à safra 2014/2015, quando foram cultivados 57,9 milhões.

Leia
mais notícias
em portalcorreio.com.br, siga nossas
páginas no
Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no
Youtube. Você também
pode enviar
informações à Redação
do Portal Correio pelo
WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas