Início Geral

Cuidado com o que se diz

O agora oficial pré-candidato a prefeito de João Pessoa, o deputado Wilson Filho entrou na disputa contrariando todas as orientações dos marqueteiros de plantão. Os entendidos de política podem até errar, até porque ninguém é perfeito, mas a história está aí para mostrar que discurso raivoso, desqualificando quem está bem na avaliação popular não vence eleição, muito pelo contrário fortalece o adversário.

Foi assim em 2014, quando o senador Cássio Cunha Lima, então candidato a governador, tentou derrotar Ricardo Coutinho – que já não estava bem na fita com a população. Era acusação para cá, denúncia para lá, resultado: perdeu de virada no segundo turno. Em 2012, na disputa pela prefeitura de João Pessoa, o senador José Maranhão seguiu a mesma estratégia. Parece até que combinaram. O peemedebista, experiente em cargos públicos, entrou na disputa em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de votos, mas foi definhando ao longo do caminho. Terminou em quarto lugar, perdendo até para a estreante Estela Bezerra.

Já Luciano Cartaxo, veio comendo pelas beiradas, se esquivando dos embates direitos, respondendo aos ataques com fala mansa, pregava a união e, pedia uma oportunidade. A imagem de bom moço surpreendeu as “raposas políticas” vencendo com ampla vantagem sob os adversários. A política, como diz os mais experientes, não é para amadores e muito menos para quem no lugar de propostas sai atirando para todos os lados. O tiro pode ser no próprio pé.

Tapete vermelho

O governador Ricardo Coutinho disse, no último sábado, que se o deputado Gervásio Maia Filho quiser o PSB está de portas abertas. “Tapete vermelho para doutor Gervásio. Já tinha para o pai dele e para ele também”, afirmou o socialista durante encontro no último sábado, onde foram anunciadas pré-candidaturas em JP e CG.

Pazes feitas

O deputado Manoel Júnior teria almoçado com o colega Trócolli Júnior, em um restaurante na praia de Intermares, e “feito as pazes”. E, sob as bênçãos de Ricardo Marcelo, que deve ir para o PMDB.

PPL

O Partido Pátria Livre, o PPL, prepara a realização de mais um congresso estadual, em João Pessoa. Na pauta, instruções para

as eleições municipais deste ano.

Proporcional

Já Major Fábio coordenará a campanha da chapa proporcional. “Podemos eleger até cinco vereadores”, disse o major, que já anunciou que disputará uma cadeira na Câmara da Capital.

Majoritária

O vereador Raoni Mendes, que todos esperavam ser o pré-candidato da legenda, será o coordenador da campanha do PTB à Prefeitura de João Pessoa. A definição saiu ontem.

Boato 1

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, teria tido acesso às cédulas da reunião do PMDB, semana passada, para definir o líder, em votação secreta. Na disputa estavam Leonardo Picciani e o paraibano Hugo Motta. Venceu o primeiro. O primeiro boato que corre nos corredores da Casa é que Cunha iria ‘vazar’ os votos.

Boato 2

O segundo é que peemedebistas paraibanos teriam votado contra Hugo Motta. Alguém deve estar se perguntando: como pode? Podendo. Política é assim mesmo. Cada um por si, literalmente falando.

Boato 3

Ah! E tem um terceiro boato: é que tendo acesso às cédulas, Cunha teria identificado que aqueles que votaram pelo Governo – leia-se Picciani – teriam ‘marcado’ o voto. Ishe!!!

Resolução 1

O Conselho da Magistratura do TJPB, em sua primeira sessão do ano, aprovou, entre outros processos, o Projeto de Resolução, que decreta regime especial nas unidades judiciárias.

Resolução 2

O objetivo do projeto é agilizar os processos de Ações Coletivas, para fins de cumprimento da Meta estipulada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.