Início Geral

Cursinho investigado alega crise e explica fechamento em JP; confira a nota

A assessoria de comunicação da empresa cursinho Solaris, apontada por ex-funcionários por aplicar golpe de, pelo menos R$ 300 mil, emitiu nota, nesta quarta-feira (30), afirmando que segue em negociações com fornecedores, ex-funcionários e alunos para que danos financeiros sejam negociados e pagos.


Leia também: Donos de cursinho somem e polícia investiga golpes de pelo menos R$ 300 mil

Na nota, a empresa confirma que fechou as portas em maio deste ano “em meio à crise econômica instaurada no Brasil e ao redor mundo, aliada ao impasse e à insegurança gerados pelo momento político, várias escolas preparatórias para concursos fecharam em todo o Brasil, o que se tornou inviável manter grandes estruturas, professores qualificados, como no caso da Solaris, a um preço muito baixo para o alunado. Dessa forma, a empresa não conseguiu mais suportar as dificuldades financeiras e, por essa razão, e a consequentemente diminuição na procura pelos cursos, não restou outra alternativa ao empresário, senão fechar portas da empresa”.


Leia mais Notícias no Portal Correio

Confira abaixo a nota na íntegra:

A empresa Solaris Concursos vem a público, por meio desta nota, esclarecer a sua posição em relação às divulgações caluniosas e difamatórias em redes sociais. A Solaris Concursos, por meio do seu sócio Rodrigo Andrade, foram impiedosamente difamados e caluniados nas redes sociais nos últimos dias, sem qualquer respaldo probatório, caracterizando os crimes de calúnia, difamação e injúria, respectivamente previstos nos Artigos 138, 139 e 141 do Código Penal Brasileiro, por todos aqueles que lhe atribuíram falsas imputações, medidas jurídicas as quais já estão sendo tomadas.

Representada por Rodrigo Andrade, a Solaris atuava no setor de cursos preparatórios para concursos públicos, exercendo sua atividade com sucesso profissional durante 10 anos, no período de 2006 até 2016. Durante todo esse tempo, não teve nenhum fato que desabonasse sua conduta ou sua imagem. O empresário sempre agiu com lisura, ética, profissionalismo e, acima de tudo, atuando junto aos seus alunos concurseiros a realizarem seus sonhos profissionais. A empresa comemorou com os alunos mais cinco mil aprovações em concursos públicos, desde professores de universidades federais a servidores do Ministério Público, Tribunal de Justiça, por exemplo.

Em meio à crise econômica instaurada no Brasil e ao redor mundo, aliada ao impasse e à insegurança gerados pelo momento político, várias escolas preparatórias para concursos fecharam em todo o Brasil, o que se tornou inviável manter grandes estruturas, professores qualificados, como no caso da Solaris, a um preço muito baixo para o alunado. Dessa forma a empresa não conseguiu mais suportar as dificuldades financeiras e, por essa razão, e a consequentemente diminuição na procura pelos cursos, não restou outra alternativa ao empresário, senão fechar portas da empresa.

No entanto, mesmo com todas as dificuldades financeiras com a falta de receitas, bem como do encerramento de suas atividades, mostrando sua boa-fé, informou à todos que negociaria e pagaria seus débitos com clientes, fornecedores e empregados, inclusive com êxito em muitas conciliações amigáveis.

A Solaris Concursos quer tranquilizar seus clientes, distribuidores, fornecedores e colaboradores, informando que seu departamento jurídico, por meio do escritório de advocacia Lacerda & Braga, está tomando todas as providências jurídicas cabíveis, já que a empresa obteve êxito em muitas conciliações amigáveis por meio do Procon/JP e da Justiça do Trabalho”.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

 

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.