Início Notícias

Homem sai às ruas de JP com cartaz que pede ‘trabalho digno’

Entre os mais de 13 milhões de pessoas desempregadas no país, registradas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), está José Evangelista de Souza Filho, de 43 anos. Sem alternativa e depois de tanta procura, ele teve uma ideia criativa e decidiu recorrer aos semáforos de João Pessoa para estampar a necessidade. Mas ao contrário do que muitos podem estar pensando, José não está lavando parabrisas de carros, nem pedindo esmolas. Ele está em busca de um emprego digno, como descreve no cartaz que exibe.

Leia também:

José Evangelista tem enfrentado calor e cansaço em busca de uma chance para viver ‘dignamente’. Segurando um cartaz no semáforo localizado no cruzamento das Avenidas Vasco da Gama e João Machado, no bairro de Jaguaribe ele grita em silêncio e faz o apelo: ‘Preciso de um trabalho digno’.

Há dois anos, Evangelista veio do Mato Grosso para Paraíba. Ele trabalhava numa empresa, como operador de máquinas, e desde que saiu de lá não conseguiu um novo emprego. “Não consegui me recolocar, por ‘n’ motivos. Primeiro porque o mercado está muito difícil, segundo, as políticas internas tanto do prefeito como do governador não ajudam. E terceiro porque quando você vai distribuir teus currículos, as pessoas te tratam como você tivesse pedindo um favor”, falou.

Em função disso, Evangelista decidiu ir às ruas. Com reação de perseverança, ele continua: “Eu tenho raça! A palavra mais simples para definir o que tenho. Disposição e dedicação. E se for necessário passar um mês aqui, eu fico, ou até aparecer uma oportunidade de emprego”, ressalta.

Na busca por emprego, Evangelista desabafa e conta como está a vida sem a oportunidade que tanto deseja. “Tenho contas para pagar como todo mundo, tenho uma filha para pagar pensão… Quem segura as pontas lá de casa é minha irmã e minha mãe, então quanto mais rápido eu arrumar emprego, mais rápido eu ajudo elas”, desabafa.

Evangelista mora no bairro Cristo Redentor, na Zona Oeste de João Pessoa. Ele confessa que não tem preferências e está aberto as oportunidades que surgirem, sejam quais forem, basta entrar em contato pelo telefone (83) 98624-9419.

Paraíba demitiu mais do que contratou em março

Empresas demitiram mais do que contrataram na Paraíba no mês de março. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que houve 8.175 desligamentos, enquanto o número de admissões foi 7.673. Os números representam um saldo negativo de 919 vagas, o que corresponde a uma queda de 0,23%.

No acumulado anual, o estado tem 25.758 contrações e 29.370 demissões, uma queda de 2,10%. Nos últimos 12 meses, a Paraíba gerou 105.759 empregos formais e demitiu 104.622 trabalhadores, com uma variação levemente positiva de 0,69%.

Desemprego no Brasil

A taxa de desemprego no país atingiu 12,7% no primeiro trimestre deste ano, o que representa 1,1 ponto percentual a mais na comparação com o último trimestre de 2018, quando ficou em 11,6%. No entanto, na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, quando a taxa registrou 13,1%, houve queda de 0,4 ponto percentual.

Os dados mostram também que a população desocupada no país cresceu 10,2% entre o último trimestre do ano passado e o primeiro trimestre deste ano e chegou a 13,4 milhões, acréscimo que representa 1,2 milhão de pessoas. Os números são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (Pnad-C), divulgada nesta terça (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, no entanto, quando a população desocupada era de 13,6 milhões, não houve variação estatisticamente significativa, segundo o IBGE.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.