Tarifa, Integração
Integração temporal funcionará por bilhetagem eletrônica a partir deste sábado (12) - (Foto: Divulgação)

Discussão sobre tarifa é adiada e CG anuncia integração temporal

Usuário pode estar em qualquer ponto e não precisará ir até o Terminal de Integração para seguir ao trajeto final

284
COMPARTILHE

Campina Grande passará a ter um sistema de integração temporal por bilhetagem eletrônica nos ônibus a partir do dia 10 de janeiro de 2019. A decisão se deu em uma reunião realizada pelo Conselho Municipal de Transportes (COMUTP), na manhã desta quinta-feira (27), na Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP). O valor da tarifa permanece o mesmo.

A reunião iria discutir um possível aumento no valor da passagem, que atualmente está em R$ 3,30. Outras propostas foram pensadas durante o encontro, quando o prefeito da cidade, Romero Rodrigues (PSDB), sugeriu a implantação da integração temporal. O sistema de integração temporal já funciona em João Pessoa desde 2008.

Funcionamento

As regras de funcionamento em Campina Grande ainda não foram divulgadas pela STTP, mas, basicamente, a integração temporal consiste em usar o cartão de bilhetagem eletrônica para utilizar dois ônibus de linhas com trajetos diferentes, pagando apenas uma tarifa. Não é necessário ir a nenhum terminal para o procedimento, o que encurta o tempo de viagens.

Ao passar o cartão no validador dentro do ônibus, a segunda tarifa aparece zerada e o acesso na catraca é liberado. Isso deve ocorrer dentro de um intervalo de tempo específico. Em João Pessoa, o usuário pode fazer integração temporal de um ônibus para outro em 30 minutos.

Segundo o representante das empresas de ônibus de Campina Grande, Alberto Nascimento, o usuário pode estar em qualquer ponto e não precisará ir até o Terminal de Integração para seguir ao trajeto final. As pessoas que têm gratuidade nos transportes não serão afetadas, como os deficientes, idosos, policiais militares, agentes dos correios etc.

No dia 8 de janeiro, será apresentado um modelo com a proposta de forma mais elaborada e específica para dar continuidade à ideia. Uma vez que a proposta entre em funcionamento, todos os usuários devem obter o cartão de bilhetagem eletrônica.

Aumento

A novidade, no entanto, não custará aumento na tarifa atual, ainda que, segundo Alberto, para cobrir o custo das empresas, o valor ideal da passagem deveria ser por volta de R$ 3,80. Conforme o superintende da STTP, Félix Araújo, se o sistema voltasse a ter cobradores, por exemplo, a tarifa passaria de R$ 4,00, por causa de uma decisão judicial que proíbe dupla função dos motoristas.

Ônibus em Campina

Campina Grande tem pouco mais de 200 ônibus operando na cidade, em um sistema que registrou em 2018 22 milhões de viagens, 6 milhões a menos que em 2017. De acordo o superintendente, a proposta de integração temporal pretende atrair mais usuários.

Números e dados

  • O combustível representa 27,6%
  • Despesa com pessoal equivale a 28,8%
  • Depreciação dos veículos: 5,6%
  • Peças e acessórios: 7,4%
  • Quilometragem total do sistema é, em média/mês, de 1.213.309 km
  • 11.859.033 de passageiros pagantes em dinheiro ou cartão (pagam inteira)
  • 7.782.313 de passageiros com vale transporte
  • 4.834.341 de estudantes (pagando meia)
  • 910.758 gratuidades
  • 83.555 integrações (ou seja, a segunda perna da integração temporal)
  • Número total de passageiros equivalentes (o que vai para a planilha): 22.058.518
  • O sistema de integração temporal em Campina Grande foi lançado em 2013, quando o procedimento só podia ser feito de forma física, ou seja, o usuário tinha que passar por algum terminal de ônibus em pontos específicos da cidade para ter acesso ao benefício
  • A previsão de horário e o trajeto de todas as linhas da cidade podem ser consultados por meio de um aplicativo de celular, do Google ou do site do projeto Ciom.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas