Dois bancos de JP s?o interditados por descumprirem ‘Lei das Filas’ e outros itens

26
COMPARTILHE

Duas agências bancários de João Pessoa foram interditadas nesta sexta-feira (24) após uma operação do Procon-JP constatar que os locais estavam a ‘Lei das Filas’, além da falta de serviços, como não possuírem cadeiras para obesos, sanitários, água potável, acessibilidade e terem atendimento preferencial precário.

Leia mais Notícias no Portal Correio

A ação, denominada de operação ‘Via Crucis’, fechou as agências Cabo Branco, da Caixa Econômica Federal, que fica nas proximidades do Viaduto Damásio Franca, na Lagoa; e a agência do banco Santander, que fica na rua General Osório, no Centro.

Segundo o Procon-JP, a operação é uma consequência das recorrentes denúncias dos consumidores pela má prestação do serviço dos bancos, além do descumprimento do prazo de entrega de um Plano de Metas ao Procon-JP, no qual deveriam constar ações para a melhoria do atendimento aos clientes.

“Chegamos a um ponto em que nos vimos obrigados a tomar medidas mais extremas. Tentamos o diálogo, penalidades como multas e, se não adiantou, é porque está havendo um descaso. Foi necessário interditar as agências em questão”, afirmou o secretário do Procon-JP, Helton Renê.

De acordo com Helton Renê, a operação visava fiscalizar 28 itens, relativos a atendimento e segurança. Na agência da Caixa, estavam sendo descumpridos 12 itens e na agência do Santander descumpria 19 itens.

“Sabemos que a suspensão de um serviço como o bancário respinga também no cidadão que se vê privado de realizar suas transações. E também queríamos constatar a situação de precariedade das agências porque, se está assim nos dias considerados tranquilos, imagine nos dias de pique?”, frisou Helton Renê.

Ainda segundo o Procon-JP, outras fiscalização vão ocorrer em diversas agências bancárias que atuam em João Pessoa.

Os dois bancos foram procurados pelo Portal Correio, por volta das 18h, mas os telefones não foram atendidos.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas