Empresas de telefonia lideram reclama??es no Procon-JP; veja ranking completo

21
COMPARTILHE

O Procon-JP recebeu, no primeiro semestre deste ano, 7.178 reclamações, através do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC). No mesmo período de 2014 foram 5.529. Entre as 10 empresas mais reclamadas este ano estão OI (377 denúncias), Sky Brasil (362), Itaucard (230), Energisa (206), Caixa Econômica Federal (194), NET (190), N Claudino – Armazém Paraíba – (185), Telemar (165), Samsung (153) e TIM (153).

Leia mais Notícias no Portal Correio     

O total do atendimento preliminar, com cerca de 70% da demanda resolvida em poucas horas ou dias, atingiu o número de 1.315. Os casos de abertura direta de reclamação, que geram processos administrativos, foram 5.082. Nestes casos, o tempo de resolução fica em torno de dois meses. Outros encaminhamentos do SAC somaram 781.

O Procon-JP notificou 484 empresas nos seis primeiros meses de 2015, com o número de autuações chegando a 283. O setor de Fiscalização da Secretaria verificou 2.880 ocorrências entre autuações, notificações e diligências fiscais, com uma média, presencial e por telefone, de 80 atendimentos diários.

O secretário Helton Renê afirma que os números demonstram a ainda difícil relação entre consumidor e fornecedores de bens e serviços. “Afirmo que é uma pena constatar que os números de reclamações continuam a crescer, apesar da suposição de que o nível de informação, de ambos os lados, vem aumentando. Gostaria de mostrar outros dados, com os números em ritmo decrescente, mas a realidade é essa: a elevação do número de reclamações”.

Ações educativas

O titular do Procon-JP acrescenta que essa é a razão da Secretaria está promovendo ações educativas e preventivas, tanto para o consumidor quanto para o empresariado. “Estamos focando em campanhas que informem o consumidor sobre seus direitos e como deve proceder na hora de adquirir o bem ou o serviço. Ao mesmo tempo estamos trabalhando junto aos empresários, através de reuniões e promoção de esclarecimentos sobre a legislação consumerista. A punição existe, principalmente para quem é reincidente, mas também tentamos educar para evitar processos futuros”.

Operações

O Procon-JP realizou 18 operações de janeiro a junho deste ano, algumas com a participação de outros órgãos como Corpo de Bombeiros, Ministério Público, Vigilância Sanitária, Procons da Paraíba e de outras cidades. Helton Renê adianta que as operações de fiscalização são também educativas, dependendo do caso. “Quando recebemos a denúncia e vemos que o infrator pecou mais por ignorância que por má fé, nós procedemos à notificação para que façam as devidas adequações para não mais incorrer em erro, além de campanhas educativas junto a todo o segmento demandado. Também notificamos para divulgar as novas leis editadas que deverão nortear a relação de consumo”, informou o secretário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas