Início Geral

Enquanto já tem desperdício de água, ainda há comunidades sem água em Campina

Uma semana depois do fim do racionamento de Campina Grande, muitas comunidades ainda sofrem com a falta de água. Os reservatórios da casa de Dona Sueli, por exemplo, ainda continuam com água, e ela continua economizando. Do outro lado, há flagrantes de desperdício na cidade. Veja vídeo abaixo.

Leia também:

Cagepa está de olho em ‘ladrões de água’ após fim do racionamento na região de CG

TJPB derruba decisão de juíza e racionamento em Campina Grande termina

Para quem ainda não aprendeu a usar a água racionalmente, existe uma lei municipal, de autoria do vereador Olimpio Oliveira, em vigor desde 2008, que pune com multa a partir de um salário mínimo quem for flagrado desperdiçando água.

“Campina Grande sempre viverá em insegurança hídrica. Nós estamos no semiárido nordestino. É importante que o cidadão se conscientize que a chegada da água do Rio São Francisco não vai transbordar Boqueirão”, disse o vereador Olímpio Oliveira (PMDB).

Até agora ninguém foi multado, mas as denúncias podem ser feitas através da Coordenação do Meio Ambiente.

Assista à reportagem.

O Tribunal de Justiça da Paraíba derrubou a liminar da juíza na Carmen Pereira Jordão e deu apoio ao governo do Estado para que o racionamento de água em Campina Grande termine. Com isso, a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) orientou a população a continuar racionando e denunciar ‘ladrões de águas’.

Por meio de assessoria, a Cagepa informou que existem muitas ligações clandestinas em açudes e trechos da transposição que fazem pessoas ter acesso às águas sem pagar por elas. Porém, o órgão divulgou que já está tomando medidas para inibir esse tipo de ação.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas
páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no
Youtube. Você também
pode enviar informações à Redação
do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Palavras Chave

Portal Correio
publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.