Portal Correio
portal-correio-fav

Chuveiro elétrico esconde perigos

Para se utilizar o chuveiro com segurança é necessário, antes de tudo, que o produto seja instalado por um profissional capacitado

22 de Agosto de 2018

Montagem e texto: Alexandre Freire
Montagem: Nice Almeida
Diagramação: Vinícius Miron
Imagens: Alexandre Freire
Infográficos: Ednando Phillipy

Quem não gosta de tomar um banho quentinho, principalmente em dias frios como os de inverno? A comodidade de possuir um chuveiro elétrico em casa requer, no entanto, cuidados e observância às técnicas de instalação para não terminar virando uma tremenda dor de cabeça. E, pior, pode se transformar em grande perigo, por causar choques elétricos.

A compra de um produto certificado e a escolha de um bom profissional são fundamentais antes de instalar o equipamento. Afinal de contas, um descuido pode ser fatal e acabar engrossando os números do Anuário Estatístico Brasileiro dos Acidentes de Origem Elétrica organizado pela Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), que registrou só no ano passado a morte de 627 pessoas em todo o país.

O que chama a atenção nos dados é o fato de quase metade dos óbitos ter sido registrado na região Nordeste. Mas o que estaria por trás desses números? Desconhecimento e o emprego de mão de obra desqualificada. Muitas vezes com o orçamento curto, as pessoas buscam soluções caseiras e terminam recorrendo a ‘curiosos’ para fazer a instalação do equipamento.

Para se ter uma ideia da gravidade do problema, em 2016 pesquisa feita pela própria Abracopel mostrou que 86% dos entrevistados já havia tomado um choque elétrico. Desse total, 22% ao utilizar um chuveiro elétrico.

Para se utilizar o chuveiro com segurança, é necessário, antes de tudo, que o produto seja instalado por um profissional capacitado. Quem faz o alerta é o técnico em Eletrotécnica e professor Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Edmilson Lima.

Edmilson chamou a atenção para a importância de o técnico observar o procedimento padrão na hora de instalar o equipamento. Segundo ele, com o aterramento bem feito e a instalação de um disjuntor termomagnético e  do disjuntor diferencial residual, o popular ‘DR’, o risco de sofrer um choque no chuveiro cai a zero.

“O aterramento funciona como uma espécie de cinto de segurança para a instalação, protegendo o usuário contra acidentes e choques elétricos. Além disso, é bom lembrar que o chuveiro deve ser instalado em uma rede individual com o disjuntor apropriado por um profissional capacitado”, observou.

O risco de acidente com o aterramento e o disjuntor instalado é zero

Edmilson disse que o chuveiro elétrico é considerado por muitos como o grande vilão, pois consome muita energia, e lembrou que embora seja de fácil manuseio requer alguns cuidados em sua utilização. “Antes de ligar o chuveiro, devemos abrir a torneira para que haja um fluxo de água. Só após abrir a torneira é que devemos ligar o interruptor que aciona o equipamento. Para desligar, o procedimento é o inverso: primeiro desligamos o interruptor, e depois a torneira. Agindo assim, estaremos utilizando o chuveiro da maneira adequada e evitando, por exemplo, a queima da resistência”, comentou.

O técnico também alertou para o perigo que o usuário está exposto em caso de tomar um choque elétrico na hora do banho ou realizar alguma manutenção no equipamento, por exemplo. Ele disse que a corrente que passa pelo chuveiro elétrico é altíssima e pode chegar a 20 amperes, em média. “Uma corrente de 30 miliamperes já é considerada prejudicial para o corpo humano, imagina a do chuveiro elétrico, que em média é 14, 16 amperes, e pode chegar até 20 amperes”, destacou.

Equipamento mal instalado pode ser perigoso

Pequenos choques ao tocar na torneira do banheiro ou o disjuntor disparando com frequência após o interruptor ser ligado podem ser indícios de algum problema na rede onde o chuveiro foi instalado. “Quando a pessoa toma pequenos choques na torneira do chuveiro, por exemplo, é porque o aterramento foi feito com uma haste fora do padrão”, observou.

De acordo com Edmilson, desgastes dos componentes ou fios mal conectados podem provocar fuga de corrente na instalação e expor a pessoa a risco de choques. Ele lembrou que se existir fuga de corrente em uma instalação bem feita a energia escoa para a terra e não gera riscos de acidentes.

Mudar a temperatura durante o banho é arriscado

Um hábito comum entre as pessoas que utilizam chuveiro elétrico é mudar a temperatura do equipamento durante o banho. Edmilson contou que o procedimento é arriscado e pode provocar um acidente fatal. “Se a pessoa perceber durante o banho que a temperatura não está adequada nunca deve mudar a chave com o chuveiro ligado. É um procedimento muito arriscado e pode causar até a morte, caso a pessoa sofra um choque com o corpo molhado”, alertou.

O técnico disse que o correto é desligar o interruptor do chuveiro e só depois ajustar a temperatura do equipamento. “Dessa forma não há risco de acidente”, garantiu.

Cuidado ao trocar a resistência

Com o uso, a resistência do chuveiro tende a queimar. O procedimento de substituição é simples, mas precisa observar certos cuidados. “A primeira coisa a ser feita é desligar a chave geral. Isso é importantíssimo”, revela Edmilson.

Edmilson Lima disse que após desligar a chave geral é necessário colocar um aviso no quadro de energia alertando que o sistema deve permanecer desligado. Ele lembrou também a importância do uso dos equipamentos de proteção e de uma chave-teste para certificar que não há fuga de corrente no sistema. “Após retirar o chuveiro, o técnico conecta a resistência nos pinos e só depois coloca o chuveiro novamente no local. Às vezes, a pessoa quer fazer a troca com o chuveiro no local para ganhar tempo, mas isso pode ser fatal”, arrematou.

FACEBOOK
GOOGLE
https://portalcorreio.com.br/especial/chuveiro-eletrico-esconde-perigos">
TWITTER
LINKEDIN