Portal Correio

Sejam bem vindos à ‘Retrospectiva 2018’ do Portal Correio. Não há melhor forma de começar uma sessão de matérias especiais do que recordar o que vivemos juntos neste último ano. Infelizmente, nem tudo foi bom… Mas não vale a pena deixar nada no esquecimento.

Edição: Nice Almeida

Colaboração: Alisson Correia, Gabriel Botto, Isis Vilarim, Lorena Alencar e Vinicius Miron

“Felizes os que observam o passado para poder caminhar no futuro!”

Augusto Cury

portal-correio-fav

OS CRIMES QUE CHOCARAM A PARAÍBA

Menino Guilherme estava morto

Com apenas sete anos o menino Guilherme desaparece sem deixar pistas no mês de fevereiro. O caso ganha repercussão em todo o estado e a polícia começa uma longa investigação. Em junho uma ossada é encontrada em um matagal e a polícia suspeita de que é do garoto. Pouco mais de um mês depois a triste confirmação e o fim da procura. Era o menino Guilherme, que havia sido morto. A mãe do menino diz saber que o assassino de seu filho não é desconhecido, mas a polícia nunca achou o responsável pelo crime.

A invasão ao PB1 – o presídio de segurança máxima

O presídio é considerado de segurança máxima, mas para os bandidos que atacaram o PB1, em João Pessoa, as barreiras não foram suficientes para impedi-los. Numa demonstração de poder e de escárnio ao poder público, pelo menos 20 criminosos explodiram a unidade prisional e, pela porta da frente, permitiram que mais de 100 detentos fugissem.

O objetivo era resgatar quatro detentos que fazem parte de uma quadrilha de roubo a bancos. Os bandidos chegaram atirando nas guaritas e detonaram explosivos no portão principal. Muitos outros presos acabaram aproveitando a oportunidade para escapar.

O Governo do Estado acabou admitindo que não tinha estrutura para impedir a ação criminosa, já que os bandidos usavam armamento pesado, não autorizados nem mesmo a agentes de segurança no Brasil. Com o passar dos dias alguns fugitivos foram sendo presos, mas muitos ainda continuam foragidos.

Policial é morto na fuga do PB1

Em meio a confusão da fuga no PB1, um policial militar acaba sendo morto. A dúvida pairou em torno de quem haveria matado o tenente Moneta. dias depois a revelação: a arma que desferiu o tiro que matou o tenente da Polícia Militar Erivaldo Moneta da Silva, na madrugada do dia 10 de setembro, mesma noite da explosão do PB1, foi a do diretor da Academia de Polícia Civil da Paraíba, Severiano Pedro.

As investigações mostraram que o tenente estava em um carro preto, junto com outros policiais, tentando recapturar fugitivos do PB1 e resolveram abordar ocupantes de uma moto que estavam em atitude suspeita. Os ocupantes da moto, com medo de um possível assalto, iniciaram fuga e foram perseguidos pelo carro que o tenente estava.

Os policiais que estavam com o tenente promoveram disparos de arma de fogo para cima, tentando intimidar os fugitivos. Nesse momento, os veículos se aproximaram da Acadepol e os policiais civis que estavam lá atiraram contra o carro, atingindo o tenente Moneta na cabeça.

Professor assassinado com 31 facadas

O professor e historiador Walingre Silva é achado morto em Pedras de Fogo, no Litoral Sul da Paraíba. A vítima foi morta com 31 facadas. A família procurou a polícia depois de perceber que ele não havia dado mais notícias. Após buscas, o corpo do professor foi encontrado na zona rural. Walingre era natural de Itambé (PE) e trabalhava como professor de uma escola estadual de Pedras de Fogo.

Campinenses na mira dos bandidos

Moradores de Campina Grande ficam na mira de bandidos. Durante uma tentativa de assalto, duas pessoas foram feitas reféns e a polícia foi obrigada a negociar com os assaltantes. Três suspeitos foram presos. Os suspeitos chegaram, anunciaram o assalto e tentaram render o vigilante, que reagiu e entrou em luta corporal com os criminosos. Policiais foram rapidamente até o local e impediram que o crime fosse consumado, prendendo dois deles na porta da agência e o terceiro após as negociações. O vigilante saiu ferido com uma mordida provocada pela luta corporal que teve no primeiro momento. Os bandidos chegaram a atirar na agência, mas os tiros não atingiram reféns.

Reféns da violência e do medo

O caixa eletrônico de uma agência da Caixa Econômica Federal foi explodida e quatro lojas foram arrombadas, no Partage Shopping, em Campina Grande. Os bandidos chegaram a fazer reféns durante a ação criminosa. Quatro veículos, sendo três carros de passeio e um caminhão, foram usados para bloquear a Avenida Severino Bezerra Cabral, onde fica situado o shopping. Pelo menos quatro pessoas que passavam pelas proximidade foram feitas reféns. Foi uma madrugada de terror.

Duas semanas de terror

A cidade de Campina Grande viveu momentos de terror nos últimos dias do mês de janeiro. Do dia 17 de janeiro até o dia 1º de fevereiro, bandidos provocaram pânico nas ruas, no principal shopping do município e até na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Diante disto tudo, a população tinha como se manter tranquila? O comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Lucas, garantiu que sim. Conforme o comandante, a polícia faz sua parte, mas em determinados momentos, os agentes de segurança sentem que estão fazendo um papel de ‘enxugar gelo’, já que a Justiça não faz sua parte.

Políticos e agentes de segurança não escapam da violência

A violência atinge todos os setores da sociedade. Até mesmo políticos e agentes de segurança se tornam vítimas. O suplente de vereador Wellison Anderson Pereira França, de 31 anos, foi morto a tiros no bairro Santa Rosa, em Campina Grande. Ele havia sido candidato a vereador nas eleições de 2016, pelo PPL, quando obteve 926 votos. A vítima, que também era puxador de quadrilha junina, foi morta nas proximidades de casa.

Sargento é morto dentro de batalhão

Anos de dedicação na busca por salvar vidas e numa manhã trágica de agosto o sargento do Corpo de Bombeiros, Josélio de Souza Leite, de 52 anos, acaba perdendo a própria para bandidos que queriam roubar sua arma. O crime aconteceu dentro do Batalhão onde a vítima trabalhava, em Mangabeira, na Zona Sul de João Pessoa. Um dia depois os acusados foram presos pela polícia.

Segurança é assassinado a tiros

Um segurança de 38 anos é assassinado a tiro, em Caaporã, na Grande João Pessoa. Ele voltava para casa quando foi atingido pelos disparos. A vítima trabalhava na sede da Justiça do Trabalho em Goiana, Pernambuco, e realizava o mesmo trajeto pela PB-044 todos os dias. O segurança morava em Caaporã com os pais e um filho.

Policial é encontrado morto

O sargento da Polícia Militar Lucimário Ferreira é achado morto, com marcas de tiros no corpo. Ele estava desaparecido e o corpo foi encontrado às margens da rodovia estadual PB-032, que dá acesso às cidades de Pedras de Fogo e Alhandra. Os suspeitos levaram a moto e a arma pessoal do sargento, que estava trabalhando em um evento particular. Pelo menos duas marcas de tiros foram achadas no corpo da vítima, sendo uma na cabeça e outra no ombro.

Bandidos tentam resgatar preso e matam vigilante

O vigilante Diego Oliveira, de 23 anos, foi morto com um tiro na cabeça na clínica de diagnóstico por imagem onde prestava serviço, no bairro da Prata, em Campina Grande. Bandidos fortemente armados chegaram ao estabelecimento e efetuaram vários tiros. Os bandidos tentavam salvar Gilmar Andrade dos Santos, de 34 anos, que é detendo do Serrotão e havia feito uma cirurgia no braço e iria fazer um Raio X na clínica. vigilantes mortos no ano

Segurança de banco assassinado

O jovem Nicson Hallymack foi assassinado a tiros quando chegava à casa onde morava, na cidade de Cuité, Agreste paraibano, a 235 km de João Pessoa. A vítima estava sozinha. Nicson, que trabalhava como segurança em um banco, foi atacado por uma dupla em uma motocicleta. O garupa teria atirado várias vezes. Vizinhos do segurança tentaram socorrê-lo para um hospital, mas ele não resistiu aos ferimentos.

Vigilante morto na frente da mulher e do filho

Edmilson Gomes da Silva, de 46 anos, foi morto a tiros no bairro Novo Cruzeiro, Zona Sul de Campina Grande. Ele foi abordado em frente a sua casa, quando estava prestes a sair de carro com a esposa e o filho, que acabaram presenciando o momento. O vigilante, que trabalhava para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) da cidade, foi atingido pelos disparos ao sair do carro durante a abordagem.

Filho é mentor de assassinato do pai

O gerente de um posto de combustível foi assassinado após uma tentativa de assalto no estabelecimento, em João Pessoa. No momento do crime havia uma grande fila de carros no local para abastecimento por conta da falta de combustíveis na cidade devido a greve dos caminhoneiros em todo o país e mesmo assim, os criminosos agiram. Poucos dias depois a polícia desvendou o caso. Herick Ramom Diniz, filho do gerente Severino Maciel Ramos, foi o mentor do crime. Ele repassou todas as informações sobre horários em que o pai estaria no local. Os acusados alegaram que não havia intenção de matar, apenas de assaltar, mas Severino acabou morto.

Morto inocentemente

Deivisson Pereira, de 40 anos, foi morto após ser atingido por um tiro em Santa Rita, na Região Metropolitana de João Pessoa. Ele estava em um uber e foi baleado ao passar próximo a uma agência da Caixa Econômica Federal no bairro Tibiri, onde ocorria um roubo. Deivisson estava com a namorada, que não se feriu. O motorista do transporte também não foi atingido. Uma testemunha acusou a Polícia Militar de ter sido precipitada e matado um inocente.

vigilante_inocente

Crime desvendado

Sete meses após o assassinato do empresário Arnóbio Ferreira Nunes, de 77 anos, a polícia confirmou que o genro dele foi o mentor intelectual do crime. A motivação do genro de Arnóbio Ferreira para a articulação do assassinato teria relação com questões financeiras. A morte teria custado R$ 130 mil. Arnóbio, de acordo com a família, tinha Cícero Antônio como um filho a ponto de ter emprestado R$ 5 milhões.

Filho é vítima da própria mãe

Uma mulher foi presa no município de Areia, Brejo paraibano, acusada de abusar sexualmente o próprio filho de apenas 4 anos de idade. Ele confessou que gravava as cenas de violência sexual para mandar para um suposto namorado que ela havia conhecido pela internet e que morava em São Paulo. Segundo o depoimento da mãe do menino, esse suposto namorado ditava as regras de como deveria ser a prática do abuso.

Ataque ao MST

Na manhã do dia 9 de dezembro, um domingo, a Paraíba acorda atônita. Militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) haviam sido assassinados covardemente. José Bernardino da Silva e Rodrigo Celestino foram mortos no acampamento Dom José Maria Pires, que fica no município de Alhandra. Homens encapuzados invadiram o acampamento enquanto o grupo jantava e efetuaram diversos disparos contras as vítimas, que não resistiram e morreram no local. Autoridades da cúpula da segurança paraibana e até o próprio governador Ricardo Coutinho disseram estar empenhados em descobrir quem eram os responsáveis pelo crime, mas ninguém foi preso.

portal-correio-fav

PORTAL CORREIO É O MAIS PREMIADO DO ANO NA PARAÍBA

Dois repórteres do PORTAL CORREIO foram agraciados com seis prêmios em 2018. Rammom Monte e Luís Eduardo Andrade receberam premiações locais, regionais e nacionais. As reportagens especiais que trouxeram esses títulos para o Sistema Correio de Comunicação concorreram nas categorias web e impresso. Todas elas podem ser revistas nos links abaixo.

img_6487-animation-2

Primeiro prêmio chegou em maio

PORTAL CORREIO e JORNAL CORREIO venceram o 1º Prêmio de Jornalismo Cooperativo da Paraíba Pela categoria Web, o grande vencedor foi o repórter Rammom Monte, do Portal Correio,  com a matéria ‘O Poder do Couro – Cooperativa reafirma sentimento de pertencimento do caririzeiro e traz filhos de volta ao lar’, que teve edição de Vinícius Miron e fala sobre a Cooperativa Arteza, que trabalha com produtos artesanais feitos com couro.

CLIQUE AQUI E RELEMBRE

Pela categoria de veículo impresso, o vencedor foi o repórter, também do PORTAL CORREIO, Luís Eduardo Andrade, com a reportagem ‘Multiplicação de Renda na Paraíba’, publicada no Jornal Correio da Paraíba. Também pelo Jornal Correio, a repórter Katiana Ramos ficou com o segundo lugar com a reportagem ‘Cooperativas de crédito em alta’.

O jornalista Rammom Monte foi o grande vencedor da categoria Web trazendo o prêmio para a redação do PORTAL CORREIO. A reportagem campeã foi “O poder do couro” feita em parceria com Vinícius Miron. As fotos abaixo são os bastidores da reportagem.

Câmara de Vereadores aprova voto de aplausos ao CORREIO

A premiação teve reconhecimento na Câmara de Vereadores de João Pessoa que aprovou, por unanimidade, voto de aplausos ao Sistema Correio de Comunicação pela conquista dos três prêmios no ‘1º Prêmio de Jornalismo Cooperativo da Paraíba’ e aos jornalistas Rammom Monte, Luís Eduardo de Andrade e Katiana Ramos. A propositura foi do vereador Eduardo Carneiro (PRTB).

Em sua justificativa, Eduardo Carneiro destacou a dedicação dos profissionais no desempenho de suas funções e o compromisso com a qualidade na informação do Sistema Correio. “De parabéns o Sistema Correio pela excelência e compromisso em sua missão de informar à população paraibana, e também aos profissionais pela relevante conquista”, comentou.

A premiação foi uma iniciativa do Sistema OCB/Sescoop-PB, em parceria com as cooperativas Unimed João Pessoa e Central Sicredi Norte/Nordeste.

Prêmio BNB de jornalismo é inédito para a Paraíba

Mais prêmios vieram para o PORTAL CORREIO, que foi o primeiro portal jornalístico da Paraíba a ganhar em uma categoria do Prêmio Banco do Nordeste de Jornalismo em Desenvolvimento Regional. A premiação foi criada em 1980 e, até 1999, agraciou apenas trabalhos publicados em mídia impressa. Retomado em 2003, passou a premiar também trabalhos fotográficos publicados em mídia impressa e, ainda, trabalhos eletrônicos de rádio, TV e internet.

A matéria vencedora da categoria “Regional II” foi a reportagem ‘Parques eólicos investem nos ‘vendedores de vento’ para aquecer economia na Paraíba’, também do jornalista Rammom Monte. A matéria tratou sobre a implementação de parques de energia eólica no Seridó Paraibano. O repórter esteve nas cidades de Santa Luzia, Junco do Seridó e São José do Sabugi e conheceu a realidade local e o desenvolvimento levado à região.

REVEJA AQUI A REPORTAGEM PREMIADA

E os prêmios foram só subindo de categoria. Até que o PORTAL CORREIO venceu um nacional. A reportagem ‘O Poder do Couro’, do jornalista Rammom Monte, venceu o 17º Prêmio de Jornalismo, realizado pela Massey Ferguson. A cerimônia de premiação aconteceu em Canoas, no Rio Grande do Sul. Rammom conquistou o primeiro lugar na categoria Multimídia, junto com trabalhos dos jornalistas Ana Paula Omena, da Tribuna Hoje, de Maceió-AL, e Luiz Cláudio Ferreira, da Empresa Brasil de Comunicação, do Distrito Federal.

PORTAL CORREIO recebe mais dois prêmios nacionais

E para fechar o ano com chave de ouro, mais dois prêmios nacionais. Dessa vez o jornalista Luís Eduardo Andrade foi contemplado.  Com a reportagem ‘A perigosa hora de carregar’, o repórter ficou em segundo lugar na categoria ‘Jornalismo Impresso’ na premiação promovida pela Associação Brasileira de Cuidados com a Eletricidade (Abracopel).

Já com a matéria ‘Seguros cibernéticos protegem contra crimes virtuais’, o profissional ficou na terceira colocação no Prêmio Nacional de Seguros, uma das mais importantes premiações do ramo em todo o Brasil, no segmento de ‘Webjornalismo’.

REVEJA A REPORTAGEM 

portal-correio-fav

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER AINDA É TRISTE REALIDADE

Mulher é morta a facadas

Na madrugada do dia seis de janeiro de 2018, uma mulher de 34 anos foi morta a facadas em Patos, a 320 km de João Pessoa, no Sertão da Paraíba. O companheiro dela é o principal suspeito e, segundo a polícia, a vítima teria gritado por socorro durante uma briga do casal por volta da 1h. Os vizinhos ouviram a discussão e acionaram a Polícia Militar, que a encontraram já morta. De acordo com testemunhas, o casal estava junto há cerca de um ano, mas morava em casas separadas, próximas.

Mulher é morta a tiros e ex-companheiro é preso

Uma jovem de 19 anos foi morta a tiros no dia cinco de fevereiro, na cidade de Campina Grande. A vítima foi assassinada em frente às filhas de dois e três anos. A Polícia Militar prendeu na tarde do domingo seguinte (18) o suspeito do assassinato. A prisão ocorreu durante uma operação da PM nos bairros Pedregal e Jeremias, em Campina Grande. O homem, de 27 anos, é acusado de pelo menos nove homicídios, sendo um deles o de Aylla. Ele também é acusado do sequestro de um PM na cidade de Lucena, no dia 22 de janeiro deste ano.

Segundo informações da Polícia Civil, Aylla cumpria pena em prisão domiciliar, por tráfico de drogas, e usava tornozeleira eletrônica. “Ela tinha sido presa ao tentar entrar com drogas no presídio do Serrotão, onde o marido e pai das filhas dela está preso. Além disso, era usuária de drogas. Trabalhamos com a tese de execução motivada por dívida de drogas”, revelou a delegada de Homicídios de Campina Grande, Suelane Guimarães.

Homem é preso por matar esposa a facadas

Ainda em fevereiro, no dia 18, um homem foi preso suspeito de matar a mulher a facadas, na cidade de Santa Rita. O crime aconteceu na casa em que os dois moravam, que fica por trás da Delegacia da Mulher. Ele foi preso em flagrante, ainda dentro de casa e o corpo sujo do sangue da companheira, que ficou caída no quintal. O suspeito foi levado para a Central de Polícia e em conversa com os policiais militares que fizeram a prisão, o homem disse que planejou o crime desde a quinta-feira anterior ao crime, quando teria descoberto que a mulher o traiu.

Postagens nas redes mostram que Ivanildo Junior tinha feito ameaças a ela no Facebook. Em uma das postagens, o suspeito, Ivanildo Junior, escreveu como descrição de uma foto do casal: “Acreditei em ti por 20 anos, mas isso não vai ficar assim”. Ivanildo Júnior foi encontrado morto no mês de março na Penitenciária Padrão de Santa Rita, na Grande João Pessoa.

Mulher morre e outra é ferida em casos de violência doméstica

Duas mulheres foram agredidas com facadas no dia 28 de fevereiro, nas cidades de Barra de Santa Rosa e São João do Cariri. Uma delas morreu na hora; a outra, foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

Em São João do Cariri, o marido da mulher, um caminhoneiro de 56 anos, teria praticado o crime. Segundo a Polícia Militar, após esfaquear a esposa ele foi a outro setor da casa, cortou os pulsos e se enforcou. A principal suspeita é de que o homem não aceitava se separar da esposa. Em Barra de Santa Rosa, a 139 km da Capital, uma mulher de 36 anos, foi ferida com dois golpes de faca no tórax. O principal suspeito é um ex-companheiro dela, que desejava reatar o relacionamento. Nem a Polícia Militar, nem a Polícia Civil sabiam informar sobre o paradeiro do suspeito.

Assassinos de Vivianny Crisley são condenados

Os acusados de matar a jovem Vivianny Crisley, em outubro de 2016, em Santa Rita, foram a júri popular no dia 28 de fevereiro. A audiência aconteceu no Fórum Juiz João Navarro Filho, em Santa Rita. Allex Aurélio Tomás dos Santos, Jobson Barbosa da Silva Júnior e Fágner das Chagas Silva foram acusados de homicídio qualificado.

Foi condenado a 26 anos de prisão, a ser cumprida inicialmente em regime fechado, o réu Allex Aurélio Tomas dos Santos, por participação no assassinato, sequestro e ocultação de cadáver da vendedora. Fagner das Chagas pegou 22 anos de prisão em regime fechado e Jobson Barbosa, 24 anos. O terceiro acusado já havia sido julgado.

Vivianny Crisley foi encontrada morta no dia 7 novembro, mas a última vez que ela foi vista viva foi na noite de 20 de outubro, em um bar no bairro dos Bancários. O corpo dela foi queimado e abandonado em uma mata em Bayeux, na Grande João Pessoa.

Assassino de Érica também é condenado

Dezessete anos de prisão em regime fechado. Foi essa a sentença proferida ao bacharel em direito, José Itamar de Lima Montenegro Júnior, acusado de matar a namorada, também bacharel em direito, Érica Vanessa de Souza Lira, em João Pessoa, em 2014. Apesar da condenação, ele vai poder recorrer da sentença em liberdade, porque foi considerado que ele tem respondido à justiça sempre que chamado.

Érica tinha 32 anos quando foi morta no dia 24 de abril de 2014 dentro do próprio apartamento, no bairro do Bessa, com um tiro no rosto. À época, ela chegou a ser socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma e saiu de casa andando, mas o ferimento se agravou e, no dia 5 de maio, ela morreu. José Itamar foi preso no dia 29 de abril após se apresentar na Delegacia de Homicídios com um grupo de advogados para prestar depoimento sobre o caso.

Estudante revela horror de agressão sofrida por ex-namorado

No mês de agosto deste ano, na semana em que a Lei Maria da Penha completa 12 anos, a TV Correio trouxe uma entrevista exclusiva que mostra o quão longe as mulheres estão de proteção. A estudante de Odontologia Géssica Oliveira, da cidade de Patos, Sertão paraibano, desabafou sobre violência sofrida recentemente, em uma viagem para Cancún, no México.

Ela estava acompanhada do então namorado, o dentista Rodrigo Ferreira. Segundo a jovem, ele demonstrou ciúmes excessivos e a agrediu fisicamente. Géssica relatou que precisou de ajuda da polícia federal do México e de funcionários do hotel onde estava hospedada para voltar à Paraíba com segurança. Até mesmo funcionários do aeroporto e comissários do avião teriam sido avisados sobre a situação e alertados para a necessidade de manter as atenções voltadas para Géssica, uma vez que Rodrigo voltava no mesmo voo.

Grávida e morta pelo próprio marido

Foi preso no dia 17 de setembro, Vinícius Gabriel Ferreira Viana, de 24 anos, marido de Natália Donato de Lima, de 28 anos, encontrada morta na praia do Bessa, Zona Leste de João Pessoa, no dia 6 de agosto. Vinícius é suspeito do crime e foi preso por mandado de prisão preventiva.

Natália Donato estava grávida quando foi encontrada morta na praia do Bessa. Segundo o Corpo de Bombeiros, a mulher sumiu no mar durante a madrugada. Momentos depois, Vinícius Gabriel acionou a Polícia Militar e contou que os dois tomavam banho no mar quando a mulher foi arrastada pela maré.

Violentada e grávida aos 12 anos

Um homem de 36 anos foi preso, no dia 17 de outubro, suspeito de estuprar e engravidar a própria enteada, uma adolescente de 12 anos. O caso aconteceu no bairro de Tibiri, que fica no município de Santa Rita, na Grande João Pessoa. O suspeito foi preso em casa. O homem dia que costumava “fazer coisas no banheiro, entre quatro paredes”. Segundo ele, por causa disso, a jovem poderia ter engravidado. “Na minha casa, entre quatro paredes, eu fazia algumas coisas dentro do banheiro. Pode, por um acaso… Ela deve ter pego dentro do banheiro”, disse ele.

Prefeito é acusado de espancar ex-namorada

O prefeito da cidade de Sousa, que fica no Sertão do Estado, Fábio Tyrone (PSB) está sendo acusado de ter espancado sua ex-namorada, Myriam Gadelha. A denúncia foi feita através das redes sociais de uma amiga da vítima. No dia seis de dezembro, o acusado teria iniciado uma sequência de agressões contra Myriam após uma festa. O prefeito teria dado tapas, socos e chutes na ex-namorada por ela estar bebendo em uma festa.

Diante dos fatos narrados na ação, o desembargador Ricardo Vital de Almeida decidiu conceder a medida protetiva, impedindo que Fábio Tyrone mantenha distância inferior a 300 metros da ex-namorada, que também se afaste da casa dela e o proibiu de qualquer tipo de contato físico, telefone, e-mails, bilhetes, aplicativos de mensagens, redes sociais, dentre outros.

portal-correio-fav

ELES DISSERAM ADEUS

O símbolo da alegria teve o sorriso silenciado no dia 10 de janeiro. Foi quando a Paraíba perdeu a professora de história aposentada Socorro Mendes, a Corrinha, foliã símbolo do bloco Cafuçu, um dos mais tradicionais e irreverentes de João Pessoa. Corrinha, que desde 2001 havia sido eleita embaixatriz do Cafuçu, lutava contra um câncer de gengiva descoberto em junho de  2017. Corrinha virou a rainha do bloco e o alegrava com uma risada incomparável e inesquecível.

A Paraíba perde Nelma Figueiredo

Em março, mais uma voz que e calou. O estado se despediu  de uma de suas mais conceituadas jornalistas. Nelma Figueiredo morreu aos 53 anos. Ela batalhava contra um câncer de pulmão desde 2016 e tinha se afastado da profissão para o tratamento.  

Rômulo Gouveia morre

No dia 13 de maio, um domingo, a Paraíba acordou de luto. A notícia de que o deputado Rômulo Gouveia havia morrido deixou todos em estado de choque. Rômulo tratava uma infecção urinária e sentiu-se mal durante a madrugada, quando estava em casa. O deputado chegou a ser socorrido às pressas para o Hospital Antônio Targino, onde deu entrada com estado clínico agravado e morreu por volta das 4h.

O deputado chegou a publicar no ‘Intagram Stories’, por volta da meia-noite, um vídeo agradecendo à Clínica Santa Clara, onde estava internado, pelo atendimento e informando que estava melhor. Mas o vídeo acabou sendo a sua despedida.

Bolinha também se despede

O radialista Airton José, conhecido como Bolinha, morreu aos 70 anos no dia 9 de julho. Bolinha deu entrada no hospital após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC). Com mais de 50 anos na história do rádio paraibano, Airton José comandava o programa Big Show do Bolinha, na Rádio Tabajara. Ele era irmão do ator Zé Dumont e pai da jornalista Kátia Dumont, da TV Correio.

A historiadora que fez história

No dia 30 de julho, a Paraíba deu adeus à escritora e historiadora Lourdinha Luna, vítima de embolia pulmonar aos 92 anos. Lourdinha Luna era membro da Academia Feminina de Letras e Artes da Paraíba e da Academia de Letras de Areia. Ela também tinha uma coluna no Jornal Correio da Paraíba.

Nascida em Areia, Lourdinha era funcionária pública aposentada. Durante décadas, ela foi secretária particular do ministro José Américo de Almeida. Na função, ela colaborou com a elaboração de correspondência, livros, conferências e discursos.

O adeus a Sérgio Taurino

Em mar

No fim deste ano, dia 14 de dezembro, morreu o jornalista Sérgio Taurino, enquanto caminhava na praia de Cabo Branco, em João Pessoa.  Ele sofreu um infarto fulminante e foi encontrado na areia da praia, em frente à Casa de José Américo. Sérgio Taurino tinha 53 anos, e atualmente trabalhava como comentarista esportivo da Rádio Tabajara. O jornalista já trabalhou no Sistema Correio de Comunicação, atuando como locutor e comentarista na Rádio Correio e TV Correio.

srgio-taurino-of
portal-correio-fav

A GREVE QUE PAROU O BRASIL

Paraíba viveu colapso

A cobrança por melhores condições de trabalho e a redução no preço cobrado pelo óleo diesel motivaram um protesto de caminhoneiros no dia 21 de maio em todo o país. Na Paraíba, a greve durou dez dias, seguindo até o dia 30 de maio. Durante a manifestação, algumas rodovias foram interditadas com pneus queimados e caminhões parados.

Os protestos afetaram vários setores como desabastecimento de alimentos. Em todos os cantos do estado o que se via eram filas em postos para abastecer. Algumas pessoas chegaram a enfrentar mais de cinco horas de espera.

O movimento parou o Brasil e alguns serviços tiveram ter que ser desativados, porque as pessoas não conseguiam se deslocar. Transportes públicos foram reduzidos, ruas se esvaziaram e não se encontrava gás de cozinha em nenhum lugar, o que fez os preços dispararem obrigando os órgãos de defesa do consumidor se posicionarem.

Até que no último dia, mais de 850 caminhões voltaram a circular e os serviços foram normalizando aos poucos. O Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) do óleo diesel foi reduzido em R$ 0,46 em duas parcelas, na Paraíba, cumprindo a decisão do Governo Federal.

portal-correio-fav

AS NOTÍCIAS QUE MARCARAM A PARAÍBA

Bandidos no caminho

A madrugada do dia 12 de janeiro ficou marcada na memória de um grupo de pessoas que viajava da Capital ao Sertão da Paraíba. A van em que iam foi interceptada por bandidos na BR-230, quando passavam por Campina Grande. As vítimas eram pacientes e estavam se tratando em hospitais da capital paraibana. Os suspeitos atiraram no pneu da van para que ela parasse. Eles também atiraram nas janelas, mas como os vidros eram blindados, as balas não conseguiram atravessar para o interior do carro. Os suspeitos levaram todos os pertences das vítimas, incluindo celulares e alianças e, de acordo com os pacientes, foram violentos a todo instante, dizendo que iriam matar todos.

van

Tragédia em Minas Gerais mata paraibanos

Treze. Esse foi o número de mortos em grave acidente na BR-251, em Minas Gerais. Sete paraibanos estavam entre os mortos. Duas carretas, duas vans, um micro-ônibus e um caminhão que transportava outro veículo se chocaram na altura do quilômetro 413,2 entre os municípios de Montes Claros e Grão Mogol, no norte do estado.

Uma das vans pertencia a um empresário da cidade de Catolé do Rocha. Além dele, que dirigia o veículo, pelo menos quatro outras pessoas da cidade também estavam na van. Dentre elas, uma mulher e os dois filhos. Por conta da tragédia envolvendo os paraibanos, a Prefeitura de Catolé do Rocha decretou luto oficial de três dias.

Uma paraibana de 20 anos denunciou a música ‘Surubinha de leve’, de Mc Diguinho, em uma publicação no Facebook, que viralizou e atingiu a marca de mais de 1 milhão de comentários e 127 mil compartilhamento. No post, Yasmin segura uma placa com o refrão da música que diz “taca a bebida/ depois taca a pica/ e abandona na rua”. Segundo a estudante, que, na foto, está maquiada como se tivesse sido violentada, a música faz apologia ao estupro. Após denúncia, a plataforma ‘Spotify’ tirou a música do canal.

Warley é atacado durante programa sexual

O ex-jogador de futebol Warley, de 39 anos, foi ferido com uma facada na madrugada do dia 26 de janeiro, no bairro de Manaíra, em João Pessoa. A suspeita, à época, era de que ele tinha sofrido uma tentativa de assalto. Ele foi socorrido por um amigo para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena e sobreviveu ao ataque.

Meses depois, a Polícia Civil concluiu que Warley foi vítima de uma tentativa de latrocínio (roubo seguido de morte). As investigações apontaram que o ex-atleta sofreu a violência após uma confusão envolvendo o pagamento de um programa sexual. Victor Coelho da Silva, que assume o nome ‘Victoria’ para trabalhar como prostituta, foi indiciado no caso.

Mar avança com violência

A ressaca do mar que atingiu o litoral paraibano fez a água invadir trechos da Orla de João Pessoa na tarde da sexta-feira do dia dois de março. Vídeos gravados por internautas mostraram a água do mar avançando sobre a calçadinha da orla e chegando até o asfalto da Avenida Cabo Branco. O mesmo também foi registrado na praia de Tambaú. Em Baía da Traição, no Litoral Norte, a ressaca causou estragos em casas e várias ruas da cidade.

Um final feliz

Um vídeo mostrou o momento do reencontro da menina paraibana que estava desaparecida desde o dia 9 de março com a mãe. A criança foi resgatada pela polícia no dia 27, na cidade de Penaforte, Ceará. O homem que a raptou conseguiu fugir. Nas imagens, mãe e filha se abraçam. A criança chora muito. O delegado responsável pela operação que resgatou a menina, Allan Murilo Terruel, orientou que ela e a mãe fossem levadas para conversar com uma psicóloga. O vídeo é encerrado quando elas entram no cômodo destinado ao atendimento.

Luta contra homofobia

Uma lei aprovada na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) e sancionada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) obrigou todos os estabelecimentos e repartições públicas da Paraíba a fixarem cartazes informando sobre a proibição e punição a ato de discriminação em virtude de orientação sexual das pessoas. Caso os órgãos públicos ou estabelecimentos comercias descumpram a lei, serão multados em até R$ 20,4 mil. Mas o cartaz trouxe polêmica porque alguns segmentos da sociedade acharam a lei desnecessária. Não foi o entendimento da Justiça, que determinou que a lei fosse cumprida.

Pânico na estrada

Um carro-forte foi explodido na manhã do dia seis de agosto em trecho da BR-230 no município de Pedras de Fogo, em área próxima a canaviais. Segundo uma testemunha ouvida pelo Portal Correio, pelo menos quatro homens fortemente armados teriam participado da ação. A testemunha, que seguia com a família de João Pessoa para Campina Grande, pela BR-230, detalhou o que viu e o terror que viveu.

Festa de facção

Uma queima de fogos ocorrida em diversos bairros de João Pessoa, além dos municípios de Campina Grande, Bayeux, Santa Rita, Sapé e Guarabira, durante a noite do dia 11 de agosto, foi analisada pela Secretaria de Segurança do Estado após informações de que os fogos seriam em comemoração ao aniversário da facção criminosa Okaida, que atua em todo o estado. De acordo com vídeos postados em redes sociais, a facção teria comemorado aniversário com festa e queima de fogos nos bairro do Cristo, Rangel, Mangabeira, Muçu Magro, Valentina e São José.

A vereadora Raíssa Lacerda (PSD) teve o seu nome vinculado com este evento. Após repercussão, a vereadora comentou a polêmica na qual seu nome foi envolvido. Pelas redes sociais, internautas insinuaram que a parlamentar participou de suposta comemoração do aniversário de uma facção criminosa.

Aos 27 anos, mesmo com um câncer em estado avançado, Jéssica Alves nutria o sonho de se casar na igreja com o seu noivo, Fernando Medeiros. O sonho foi realizado no dia 20 de agosto, no Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa. No dia 9 de setembro, Jéssica morreu ainda no hospital.

Destruição na Expofeira

Um incêndio de grandes proporções destruiu a Expofeira de Artesanato Tambaú, que fica localizada na orla de João Pessoa. O tradicional ponto turístico da Capital ficou completamente destruído após dois adolescentes atearam fogo no estabelecimento enquanto tentavam furtar objetos durante a madrugada do dia 30 de outubro. Os adolescentes de 15 e 16 anos entraram na Expofeira na intenção de furtar objetos eletrônicos, como caixas de som, mas como estava escuro, os suspeitos decidiram atear fogo em um pedaço de tecido, que acabou se alastrando por todo o estabelecimento. Ninguém ficou ferido.

portal-correio-fav

ESPORTE DE VITÓRIAS E ESCÂNDALOS

Copa do Brasil

Os clubes da Paraíba que disputaram a Copa do Brasil de 2018 não foram tão longe, diferente de em anos anteriores. O Botafogo-PB passou da primeira fase, com a vitória em cima do Floresta-CE, por 2 a 0, mas foi eliminado na segunda fase pelo Atlético-MG, pelo placar de 4 a 0. Já o Treze, foi eliminado na primeira fase pelo Figueirense-SC, pelo placar de 2 a 0.

Botafogo bicampeão

O Botafogo-PB sagrou-se bicampeão do Campeonato Paraibano. Apesar de um campeonato marcado por supostas manipulações de resultados, o Belo venceu o Campinense na final do torneio, por 2 a 0. Os rebaixados do ano foram o Auto Esporte e a Desportiva Guarabira.

Corrupção no futebol

Um dia após a final do Campeonato Paraibano, foi deflagrada a Operação Cartola, que investigou supostas manipulações de resultados, escalas de arbitragem e até borderôs de jogos, por dirigentes das principais equipes do estado e pela Federação Paraibana de Futebol. A operação, desbaratada pelo Gaeco, Polícia Civil e Ministério Público culminou no banimento do futebol dos principais dirigentes dos clubes envolvidos, árbitros, funcionários da FPF e até o então presidente da entidade, Amadeu Rodrigues.

Manipulação de resultados

Dias depois o CORREIO teve acesso, com exclusividade, ao processo que revelou manipulação de resultados, escolha de árbitros por parte de dirigentes, armações pagas e até ameaças de morte. Estes foram apenas alguns dos fatos que constavam em relatórios da Operação Cartola. Nos documentos aos quais os jornalistas Raniery Soares e Rammom Monte tiveram acesso, transcrições de áudios mostraram a clara escolha dos árbitros a serem escalados nos jogos do Campeonato Paraibano.

O inquérito da Operação Cartola continha seis volumes, cada um, em média, com 300 páginas. O conteúdo revelou que o futebol paraibano estava afundado na corrupção. Dirigentes de clubes escalavam árbitros e manipulavam resultados de jogos. Nos autos aos quais a reportagem teve acesso, constavam os nomes de dirigentes de clubes, como Botafogo-PB, Sousa, Treze e Campinense; membros da Federação Paraibana de Futebol e árbitros.

Frustração na Copa do Mundo

A Seleção Brasileira de Futebol não conseguiu o tão sonhado hexacampeonato mundial. Na Copa do Mundo realizada na Rússia, os brasileiros não conseguiram passar das quartas de final pela Bélgica. O Brasil foi derrotado por 2 a 1 e adiou o sonho do hexa para 2022, no Catar.

Petrúcio, o paraibano recordista mundial

O paraibano Petrúcio Ferreira quebrou mais um recorde mundial no atletismo. Dessa vez, no Grand Prix de Paris, o paratleta correu na marca dos 10s50 e levou também a medalha de ouro na competição internacional. Petrúcio quebrou a própria marca, conquistada em Londres, no ano de 2017, quando o velocista correu na marca de 10s53.

Campeonato Brasileiro e um ano quase perfeito

Pela primeira vez na história, os três principais clubes da Paraíba disputaram um acesso para a divisão superior do Campeonato Brasileiro. O Botafogo-PB almejava a Série B do Brasileirão, já o Campinense e o Treze estavam disputando o acesso para a Série C. No fim das contas, apenas o Galo conseguiu o acesso, batendo o Caxias-RS. O Belo e a Raposa bateram na trave, sendo eliminados no jogo do acesso pelo Botafogo-SP e Ferroviário-Ce, respectivamente.

Espectros Campeão do Nordeste

O João Pessoa Espectros foi campeão da Conferência Nordeste do Brasileiro de Futebol Americano após vencer por 39 × 3 o Recife Mariners na final do torneio. Foi a nona vez que a equipe paraibana conquistou o título regional. Os destaques da partida foram o lançador Rodrigo Dantas, com boas jogadas e passes para touchdown, e os americanos Oshay Dunmore e Carlos Cox, além de Diego Aranha, Heron Azevedo e uma das revelações da temporada, Denner Lucena.

Segundona do Paraibano

O Esporte de Patos e a Perilima conquistaram o acesso para a Primeira Divisão do Campeonato Paraibano de Futebol. As equipes se enfrentaram na final da Segundona, e quem ficou com o título foi o ‘Patinho do Sertão’, após vencer no Estádio José Cavalcanti e segurar o empate no Presidente Vargas, em Campina Grande.

Belas do Belo tetracampeãs

O Botafogo-PB levou também o Campeonato Paraibano de futebol feminino. As Belas do Belo venceram a equipe do Mixto e levantaram pela quarta vez consecutiva o troféu do torneio. A equipe chegou à última partida precisando apenas de um empate, exatamente o resultado do jogo, que terminou em 1 a 1.

Mundial de Kart em solo paraibano

O mundial de Kart aconteceu pela primeira vez na América do Sul, e em solo paraibano. A competição aconteceu no Circuito Internacional Paladino. O campeonato ainda deu a chance de um paraibano subir ao pódio, e no lugar mais alto. Sérgio Crispim Filho levou a medalha de ouro na primeira disputa mundial do Kart Elétrico.

portal-correio-fav

POLÍTICA DE ELEIÇÕES E CORRUPÇÃO

ELEIÇÕES 2018

Ele Não, Ele Sim, Fascista, Petralha, Boslominion. Se alguém fizer uma busca sobre palavras chaves ou hashtags mais usadas nas eleições deste ano, com certeza essas serão as mais encontradas. Especialistas de todos os setores, jornalistas, historiadores, pessoas comuns nas rodas das conversas admitiam: “Estamos vivendo uma eleição atípica”, dominada por discursos extremistas e atitudes ainda mais.

As redes sociais chegaram ainda mais fortes às vidas dos cidadãos e, junto com elas, mais um termo que dominou o vocabulário: fake news. As notícias falsas se transformaram em uma grande preocupação para autoridades que lideraram o pleito. Algumas ferramentas chegaram a ser criadas para identificar as fake news, mas a falta de uma legislação específica para casos assim ainda deixa livre os produtores de mentiras espalhadas em grupos de redes sociais.

O que não foi falso nesse período foi o resultado das eleições. E a Justiça Eleitoral sempre garante, e assim tem sido registrado todo o ano eleitoral, a segurança nas urnas eletrônicas que nunca colocaram em xeque a contagem final dos votos. Numa eleição polarizada entre dois candidatos para presidente da República, a democracia prevaleceu mais uma vez.

Bolsonaro é eleito presidente da República

O candidato à Presidência, Jair Bolsonaro (PSL), derrotou o petista Fernando Haddad no 2º turno das eleições. Ele obteve mais de 55,13%, o que corresponde a mais de 57,8 milhões de votos válidos. Haddad terminou a disputa com 44,87% da preferência do eleitorado brasileiro, com cerca de 47 millhões de votos. No primeiro turno, Bolsonaro recebeu mais de 49 milhões de votos e obteve 46,03% da preferência do eleitorado. Já Haddad, teve 31,3 milhões de votos e terminou a disputa com 29,28%.

Antes de eleito…

Antes do pleito, o então candidato a presidente sofreu um atentado que por muito pouco não lhe tirou a vida. Foi esfaqueado durante um ato de campanha, em Juiz de Fora (MG). Imagens do momento em que Jair Bolsonaro foi puxado no meio de uma multidão circularam na internet provocando uma grande comoção.

A Polícia Federal prendeu Adélio Bispo de Oliveira, agressor de Bolsonaro, em flagrante, logo após o atentado. Um inquérito policial foi aberto para investigar o fato. O agressor pode pegar até 20 anos de prisão. Adelio Bispo foi indiciado com base no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional — a Lei 7.170/83 define os crimes contra a segurança nacional, a ordem política e social.

João bate adversários e vence no 1º turno

Na Paraíba as eleições foram decididas ainda no primeiro turno. O ex-secretário João Azevêdo, do PSB, foi eleito novo governador. João obteve mais de 1,1 milhão de votos (58,18%). Essa foi a primeira vez em dez anos que as eleições na Paraíba foram decididas no primeiro turno. A última vez foi em 1998 quando José Maranhão disputou com Gilvan Freire.

Em sua primeira disputa eleitoral, João Azevêdo teve no governador Ricardo Coutinho (PSB) seu maior cabo eleitoral. Azevêdo, inclusive, foi tido como ‘supersecretário’ de Ricardo, nos quase oito anos à frente de cargos considerados estratégicos em sua administração no Governo do Estado.

O candidato do PV, Lucélio Cartaxo, ficou em segundo lugar na disputa com 450.525 votos, ou 23,41%. Já José Maranhão obteve 335.604 votos, ou seja, 17,44%. Tárcio Teixeira obteve 15.522 (0,81%) e Rama Dantas teve 3.146 votos (0,16%).

Mulheres vestidas para mandar

O pleito foi histórico para os paraibanos, que viram, pela primeira vez, uma mulher ser eleita senadora da República. O feito foi conquistado nas urnas pela deputada estadual Daniella Ribeiro (Progressistas). Ela conquistou nas eleições de outubro a segunda vaga do estado ao obter um total de 831.701 votos, números que equivalem a 24,25% do eleitorado.

Já a ex-secretária de Estado e professora Cida Ramos (PSB) foi a primeira mulher a encabeçar o ranking de votos na disputa pelo legislativo estadual. Nunca uma candidata havia sido campeã de votos na disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). No total, 56.048 paraibanos confiaram seu nome àquela Casa, volume que numericamente só perde para Toinho do Sopão, que em 2010 teve 57.592 votos. Para Cida, conquistar espaços é uma luta diária, que ainda caminha a passos lentos.

Fake news

Entre fatos e histórias uma coisa grave preocupou a todos: as notícias falsas, que permearam a campanha e chegaram ao pleito com força total. E a disputa eleitoral nacional foi a que mais sofreu com as fake news. A falta de cuidado das pessoas em checarem as informações a que tinham acesso fortaleceram muito a onda de mentiras espalhadas pelo país.

Uma enquete realizada pelo Portal Correio apontou que apenas 44% dos internautas sabiam como identificar uma notícia falsa. Das 1.223 pessoas que responderam a consulta, apenas 534 afirmaram que saberiam reconhecer uma fake news na internet. Por outro lado, 32% (390 votos) afirmaram que só conseguem identificar uma notícia falsa às vezes. E 24% (298 pessoas), disseram que não sabem reconhecer uma fake news na internet.

E isso acabou refletindo no pleito. De um lado a criação de um ‘kit gay’ que seria distribuído nas escolas públicas foi atribuído Fernando Haddad (PT) e a notícia (falsa) não saía da boca dos que se dizem defensores da moral e dos bons costumes. Manuela D’Ávila, vice de Haddad também não ficou imune. Ela usou uma camiseta com o termo “Rebele-se”, uma montagem transformou isso em “Jesus é travesti” e criou um alvoroço nas redes sociais. Bolsonaro também foi vítima de notícia falsa. A ele foi atribuído o plano de proibir tratamento de graça contra o câncer.

Escândalos do ano

Uma onda de escândalos inundou a cidade portuária de Cabedelo em abril. Durante uma operação denominada de ‘Xeque-mate’, foram presos o prefeito Leto Viana, o presidente da Câmara Lúcio José; os vereadores Jacqueline Monteiro (esposa do prefeito), Tércio Dornelas, Júnior Datele e Antônio do Vale; uma prima de Leto, Leila Viana, que atuava na Secretaria de Finanças do Município; Inaldo Figueiredo, da comissão que analisava imóveis que podem ser comprados pela prefeitura; Marcos Antônio Silva dos Santos; Gleuryston Vasconcelos Bezerra Filho; e Adeildo Bezerra Duarte.

A operação, deflagrada pela Polícia Federal e Ministério Público Estadual, expôs a existência de um esquema de corrupção responsável por desviar ao menos R$ 30 milhões e colaborar com o enriquecimento ilícito de agentes públicos em Cabedelo.  Entre os crimes investigados, está a suposta compra de mandato do ex-prefeito José Maria de Lucena Filho, conhecido como Luceninha, pela importância de R$ 5 milhões, pelo então vice-prefeito Leto Viana.

Prefeito interino

Dois dias depois, um prefeito interino foi escolhido, durante uma eleição a portas fechadas na Câmara Municipal. Amigo pessoal de Leto Viana, Vítor Hugo passou a governar a cidade mesmo também sendo alvo do escândalo que dominou Cabedelo, já um vídeo adquirido na investigação mostrou Vítor recebendo o que seria um envelope com dinheiro fruto de corrupção.

Morte durante investigação

Denunciado na Xeque-mate, o vice-prefeito afastado de Cabedelo, Flávio Oliveira, morreu em julho. O Político do PRP sofreu uma insuficiência cardiorrespiratória. Flávio tinha 57 anos e era corretor de imóveis. Flávio Oliveira foi eleito como vice-prefeito de Cabedelo nas eleições de 2016, quando fazia parte da chapa encabeçada pelo então prefeito da cidade, Leto Viana.

Renúncia a manobra

Em outubro Leto Viana, ainda preso e afastado da prefeitura, renunciou ao cargo forçando a Justiça Eleitoral a programar novas eleições, que deveriam ter sido realizadas em dezembro, mas acabou sendo adiada para março devido a um processo questionando o calendário eleitoral.

Nesse ínterim, uma nova manobra ameaçou tirar do cargo o prefeito interino Vítor Hugo. Um requerimento aprovado na Câmara Municipal elegeu uma nova mesa diretora e fez de Geusa Ribeiro a presidente da Casa e, consequentemente, a nova prefeita interina. Mas uma decisão judicial derrubou a decisão e manteve Vítor no cargo.

Enquanto isso em Bayeux…

Cabedelo não é o único município da Grande João Pessoa que sofre com escândalos políticos. Bayeux vive, desde 2017, um grande impasse e sofre com a mudança constante de gestão. Para surpresa de todos, mais de um ano depois da prisão do prefeito Berg Lima, a justiça decidiu que ele deveria voltar ao cargo, decisão tomada em dezembro deste ano.

De volta ao cargo, Berg destacou que foi alvo de uma ‘armação política’ e valorizou a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que anulou suas condenações. Apesar de se declarar inocente, o prefeito de Bayeux revelou arrependimento e ingenuidade.

Escândalos se espalham

Leto Viana e Berg Lima não foram os únicos a envergonhar a população que os elegeu. Outros gestores paraibanos foram afastados do cargo por decisão judicial por envolvimento em atos de corrupção, do ano passado para cá.

No dia 1º de dezembro o prefeito de Tavares, Aílton Suassuna, foi preso e afastado do cargo acusado de receber propina na aquisição de veículos para a prefeitura. E novembro houve o afastamento cautelar da prefeita de Diamante, Carmelita de Lucena Mangueira, por crime de responsabilidade, por irregularidade em processo de licitação.

Em agosto Dinaldo Wanderley foi afastado da Prefeitura de Patos acusado de envolvimento em uma organização criminosa especializada na fraude de licitações e desvio de dinheiro público na operação “Cidade Luz”.

Outros três prefeitos, eleitos em 2016 foram afastados do cargo por decisão judicial por improbidade administrativa, Dr. Verissinho, de Pombal; Renato Mendes (DEM), de Alhandra, e Beviláqua Matias (PTdoB), de Juazeirinho, mas voltaram ao poder depois de conseguir liminar em instâncias superiores, revogando as decisões.

FACEBOOK
GOOGLE
https://portalcorreio.com.br/especial/retrospectiva-2018">
TWITTER
LINKEDIN