Moeda: Clima: Marés:

Especialista dá dicas para promover a saúde nasal

Médica otorrinolaringologista reforça que devemos cuidar do nariz todos os dias

Quando se fala em cuidado com o corpo e saúde, não é incomum que esqueçamos partes dele: o nariz é um exemplo que parece inusitado. Quem tem algum problema respiratório de forma recorrente provavelmente conhece formas de combater os sintomas que aparecem. Por exemplo, a pessoa com rinite, em geral, tem coriza, congestão nasal, espirros constantes, entre outros sintomas. Mas como cuidar do nariz, afinal de contas?

O primeiro passo é a lavagem do órgão, com recomendação médica para ser feita diariamente. E em especial nos meses mais frios, quando há surtos de gripes e resfriados, além das agressões ao nariz causadas pela temperatura do ar. A otorrinolaringologista Mariana Pereira Roque, professora do curso de Medicina do Unipê, compara a necessidade da lavagem nasal com a das mãos, dizendo que o ato traz benefícios à saúde.

“Lavando o nariz todos os dias nós evitamos a exposição de vírus e bactérias na mucosa nasal”, exemplifica a médica. “A partir do momento que lavamos o nariz todos os dias, conseguimos manter o ambiente nasal limpo diariamente para, assim, nosso nariz realizar suas funções de filtração e umidificação do ar com mais eficiência”, complementa.

O ato também ajuda a diminuir o acúmulo de secreção que favorece a proliferação de bactérias e promove uma limpeza mecânica das micropartículas de poeira que ativam as alergias respiratórias. Mariana reforça que para ser feita a lavagem de forma segura é recomendado apenas o soro fisiológico, cujo pH é ideal e não agride a mucosa nasal.

Com isso, há o reforço de que qualquer outra substância não é indicada para fazer essa limpeza. A água proveniente de torneiras, por exemplo, tem impurezas e não tem o pH ideal compatível com o nariz. A água mineral também é contraindicada pelos profissionais, tendo em vista o pH dela e a concentração de minerais não serem adequados.

Como fazer a lavagem nasal?

O processo é simples: o soro deve ser usado em temperatura ambiente, nunca gelado; com a cabeça posicionada em frete ao espelho da pia e levemente inclinada para frente e um dos lados, aplique de 10 a 20 ml do soro com uma seringa (tamanho varia conforme a idade) na narina que está mais para cima; o líquido sairá pela outra narina. Isso deve ser repetido nessa outra narina.

É possível ainda ser usado outro dispositivo para aplicação própria de soro fisiológico. E após aberto, o soro deve ser conservado na geladeira por no máximo uma semana.

Há casos de pessoas em que o soro não passou de uma narina para a outra. Se esse for o seu caso, Mariana diz que as razões podem ser a posição da aplicação, deformidades, como desvio septal, ou muito acúmulo de secreção bloqueando a passagem do soro inicialmente. Ainda assim, a lavagem funciona, é indicada, sendo importante o contato do soro com as narinas. Depois, a pessoa pode suavemente assoar o nariz para retirar o soro fisiológico.

Quer ser um (a) otorrinolaringologista?

Faça Medicina! O curso do Unipê forma profissionais pautado em princípios éticos, qualificados com base no rigor científico e capazes de intervir em situações de saúde-doença que fazem parte do perfil epidemiológico nacional. Saiba mais sobre a graduação aqui!

Comentários

NELCILENE GOMES DE MIRANDA. disse:

SOU MUITO ALÉRGICA. TENHO SINUSITE CRÔNICA E RINITE ALERGICA.

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.