Especialista dá dicas sobre preservação de roupas e lavagens

Valesca Sperb Lubnon ensina como escolher peças mais duráveis

Usamos bastante água para higiene e necessidades do corpo: no Brasil, esse consumo pode atingir 200 litros diariamente, em contraposição aos 110 litros de água por pessoa a cada dia apontado pela ONU. Quando a relação é entre o uso de água para lavar roupas, isso não é muito diferente: lavamos roupas semanalmente e, muitas vezes, até mais de uma vez por semana. Então como preservar as roupas e diminuir as lavagens? 

A Profa. Valesca Sperb Lubnon, do curso de Design de Moda do Unipê, diz ser necessário primeiro saber fazer boas escolhas de compra de peças a partir do conhecimento sobre os tipos de tecido. Alguns tecidos sintéticos, como o poliéster, têm longa durabilidade de uso, não desbotam facilmente com lavagens, dispensam o uso de ferro elétrico e exigem menos água em sua lavagem. 

Para os de fibra natural, é interessante que as peças sejam certificadas com algodão orgânico (sem agrotóxico no cultivo do algodão). E mesmo algumas sendo 100% algodão, há malhas usadas em camisetas que não compensam a compra porque logo perdem a estrutura, ficando ralas, desbotadas e distorcidas. Para evitar isso, opte pelas de estrutura mais firme. 

“Use da sua experiência pessoal para classificar essas características no momento da compra, afinal, existem roupas muito baratas que duram anos, e roupas caríssimas que não resistem à três lavagens. Não é apenas uma questão de marca, conceito ou preço, mas sim do consumidor compreender sobre o comportamento do tecido no seu uso diário. Uma dona de casa e qualquer pessoa que tenha o costume de cuidar de suas próprias roupas conseguem formar opinião e critérios de compra para evitar peças feitas de tecidos de baixa durabilidade”, conta. 

Lavagens e conservação 

Feitas as escolhas, deixar as roupas guardadas em locais arejados evita a formação de mofos, que podem gerar alergias de pele e manchas nas peças. Ao lavá-las, é essencial ter atenção às instruções que vêm nas peças para ajudar na sua conservação, como água fria ou morna ou forma de secagem. 

E é ideal é usar sabão corretamente, sem excessos, e enxaguar bem. Além disso, o uso de alvejantes danifica as fibras dos tecidos, deixando-as mais fracas a cada lavagem. “Existem produtos especiais para alvejar roupas que não agridem as fibras. As fibras sintéticas quando alvejadas com cloro perdem sua maleabilidade, e as fibras naturais perdem sua resistência de forma significativa, sendo alvo fácil de rasgos”, aponta Valesca. 

Se uma peça está manchada, é melhor que seja lavada por inteira por questão de higiene: retirar só mancha localizada pode gerar alergias ou uma nova mancha com o uso do produto isolado. A sugestão é otimizar o gasto: muitas máquinas possuem regulagem para níveis de água conforme quantidade de peças. 

Reaproveitamento de água e produtos 

Ainda, reaproveitar a água do enxague é interessante para lavar áreas da casa – se possível, opte por sabões biodegradáveis para não afetar o solo do jardim. “Ao lavar roupas no tanque, certifique-se de não deixar a torneira aberta de forma deliberada, e sempre use água na proporção das roupas que está lavando, de nada adianta um tanque cheio de água para lavar apenas um ou duas peças”, indica. 

Valesca lembra: todos produtos feitos industrialmente agridem o meio ambiente de alguma forma, seja na extração de seus compostos da natureza, no transporte, no processamento ou durante uso, por isso a importância dos selos e certificados ambientais – a emissão de gases poluentes são um agravante de qualquer processo ambiental e vários países sofrem com essas consequências. “Hoje em dia, todas empresas que possuem consciência ambiental destacam em suas embalagens que possuem esses cuidados”, finaliza.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.